Esporte

José Aldo confirma retorno para fevereiro no UFC Nova York contra Holloway

AP Photo/John Locher
Aldo vai defender o cinturão dos penas contra Max Holloway Imagem: AP Photo/John Locher

Ag. Fight

12/12/2016 17h13

Depois de seis meses confusos e polêmicos, período em que chegou a anunciar sua aposentadoria, José Aldo oficializou nesta segunda-feira (12) a data para o seu retorno ao octógono do UFC. O dia em questão é 11 de fevereiro, na cidade de Nova York (EUA), quando o brasileiro coloca seu cinturão dos penas em jogo pela primeira vez desde que reassumiu o posto de campeão.

Em conversa com jornalistas na cidade do Rio de Janeiro, durante lançamento da minissérie sobre sua vida, Aldo revelou que encara Max Holloway no show de número 208 da organização, e que embora não pudesse comentar sobre o assunto, já era sabido que o vencedor do duelo entre Max Holloway e Anthony Pettis seria o seu adversário.

"Eu já sabia que o Conor não iria mais voltar para a categoria. Sobre a luta de fevereiro, já sabia, só não sabia com quem ia ser. Seria ele [Holloway] ou o Pettis, mas todos já sabiam. E vai acontecer em 11 de fevereiro. Já estava fechado bem antes, só não podia anunciar", narrou.

Curiosamente, o rival Holloway passou a provocá-lo repetidamente nos dias anteriores à sua luta contra Pettis mas logo depois do combate, na coletiva de imprensa, afirmou que não sabia se a data seria de seu interesse por priorizar passar o natal com seu filho, que faz aniversário no final do ano. Discurso esse que não ganhou o respeito do brasileiro.

"A data está certa. Vou lutar nesse dia, com ele ou com outro. Se ele não aparecer, o problema é dele. Todo mundo tem família e filho. Quem quer ser campeão não tem nada de data. Já lutei e treinei em natal e ano novo. É bem fácil analisar e ver quem vai aparecer. Já estava certo com o UFC a data", provocou, mas não sem antes analisar o rival.

Depois de carregar uma invencibilidade de dez anos no MMA e ser o primeiro campeão peso-pena (66 kg) do UFC, Aldo deixou claro que sua confiança segue em alta. Ao ser questionado sobre o estilo do adversário, que embalou dez triunfos seguidos na organização, o brasileiro deu nova amostra de que não vê perigo no estilo do havaiano.

"Não tem para onde correr. De fujão já basta o Conor, que já está há um ano sem pisar na categoria. Foi luta dura, mas o Pettis está em decandência, então já esperava que o Holloway poderia vencer", analisou. "Não parei para estudar ele ainda. Luta é luta. Não vejo onde ele possa me vencer, no chão, no wrestling, nada. Tem grandes vitórias, mas sem expressão nenhuma. Não sei de onde ele está achando que é isso tudo. É mais um lutador normal".

Quer receber notícias de MMA de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo