Esporte

Dana White nega desrespeito com Cris "Cyborg" no UFC

Jeff Zelevansky/Getty Images
Imagem: Jeff Zelevansky/Getty Images

Ag. Fight

14/12/2016 15h41

Não é de hoje que Cris ‘Cyborg’ demonstra estar insatisfeita sobre a forma como é tratada pelo UFC. Desde que assinou seu contrato com a organização, a brasileira pede a criação da categoria em que está habituada a competir, a dos pesos-penas (66 kg). No entanto, ela foi surpreendida com a recente notícia de que não fará parte da luta inaugural da nova divisão, e que valerá o cinturão, o que deixou o clima entre eles ainda pior.

O presidente do evento, Dana White, revelou que as duas atletas que disputarão o título serão Holly Holm, ex-campeã peso-galo (61 kg), e a holandesa Germaine de Randamie, que se enfrentam no show de número 208 da franquia, marcado para 11 de fevereiro de 2017. E em meio a toda repercussão sobre a possível falta de respeito com a curitibana, o manda-chuva fez questão de esclarecer os motivos de sua decisão.

Cyborg apresentou dificuldade para bater o peso em suas últimas lutas, e esse foi um dos argumentos usados pelo presidente do UFC. Dana White revelou que a brasileira recebeu o convite para lutar pelo novo cinturão, mas que ela não aceitou porque disse não ter tempo hábil para alcançar a meta da nova divisão em apenas oito semanas. Em entrevista ao site ‘ESPN.com’, nesta quarta-feira (14), o cartola também questionou o profissionalismo da lutadora.

“Se nós estamos desrespeitando a Cyborg? Ela disse que não consegue bater o peso da nova categoria em oito semanas. Nós oferecemos uma segunda e uma terceira luta, e ela negou todas. Com tudo que tenho que lidar na minha vida, a última coisa em que eu pensaria é: ‘Vamos nos juntar para desrespeitar Cris Cyborg’. Eu tinha duas lutadoras que queriam disputar o cinturão peso-pena. Estamos falando de profissionais. Nós a contratamos porque ela nos disse que conseguia bater o limite do peso-galo. Quando não conseguiu, nós criamos a divisão dos pesos-penas e mesmo assim ela não quis lutar”, criticou.

Apesar da polêmica envolvendo a brasileira, Dana White não demonstra estar arrependido sobre a decisão. Após analisar o combate entre Holm e Randamie, ele já faz planos sobre uma possível luta entre campeãs de duas categorias diferentes. O cartola levantou a hipótese de que caso Holm vença o combate marcado para fevereiro, no UFC 208, e Ronda Rousey ganhe da brasileira Amanda Nunes, campeã peso-galo da organização, no UFC 207, as duas vitóriosas façam uma revanche.

“Esse é o negócio da oportunidade. Quando a chance aparece, você não a deixa escapar. Se não fizer isso, a oportunidade vai embora e você nunca mais a vê. Se Holly Holm vencer e se tornar campeã, e o cenário tiver Ronda Rousey campeã também, eu garanto que as pessoas vão querer ver essa revanche em 2017”, contou.

Quer receber notícias do MMA de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo