Topo

Esporte

Namoradas, lutadoras Amanda e Nina revelam planos sobre bebê

Christian Petersen/Getty Images/AFP
Amanda Nunes e Nina Ansaroff são lutadoras do Ultimate Imagem: Christian Petersen/Getty Images/AFP

Ag. Fight

21/01/2017 06h00

 

Atual campeã peso galo (61 kg) feminina do UFC, Amanda Nunes ainda desfruta da vitória em sua primeira defesa de cinturão, quando nocauteou  Ronda Rousey no UFC 207. E em meio ao clima positivo, a brasileira revelou ter grandes planos para o futuro junto com a americana Nina Ansaroff, sua namorada. As duas falaram sobre o desejo de terem um bebê, garantiram que a vida de atleta não impedirá seus sonhos e estipularam o prazo de no máximo três lutas para aumentarem a família.

Assim como Amanda Nunes, Nina Ansaroff também é contratada do Ultimate e vem de vitória contra a compatriota Jocelyn Jones-Lybarger no UFC Phoenix, realizado no último dia 15 de janeiro. Durante o período de gravidez, as atletas da organização não são liberadas para competir, o que não parece ser um problema para a namorada da brasileira. A revelação do casal foi feita em entrevista ao programa ‘Be Honest with Cari Champion’, do canal ESPN, quando a americana apontou para o fato de que muitas competidoras já tiveram filhos e conseguiram voltar ao MMA em alto nível.

“Você me disse que terá mais duas ou três lutas e depois começará uma família?”, perguntou Amanda Nunes, que logo foi respondida por sua parceira: “Isso, eu quero. Mal posso esperar. Eu posso pausar, ter o bebê e depois voltar. Muitas garotas do UFC já tiverem bebês. Um monte de garotas já tiveram bebês e voltaram. Você só está grávida por oito ou nove meses. Me envolvi em um acidente feio de moto que me complicou muito mais do que um bebê pode fazer com o meu corpo. Acho que ficarei bem”, analisou Ansaroff.

Diferente de sua namorada, Nina Ansaroff ainda precisa escalar mais alguns degraus para chegar ao topo de sua divisão, a peso palha (52 kg) feminina. E tal caminho em direção ao título da categoria pode implicar em algumas decisões difíceis, visto que para ter a oportunidade de disputar o cinturão ela provavelmente precisará disputar mais de três lutas. Essa é apenas mais uma das dificuldades pelas quais as atletas do sexo feminino passam dentro do mundo das lutas.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte