Esporte

Após caminho inverso rumo ao UFC, brasileiro sonha em voltar aos EUA

Acervo Pessoal
Marcel Fortuna estreia no UFC no próximo sábado Imagem: Acervo Pessoal

Ag. Fight

01/02/2017 07h00

 

Caminho inverso deve ser a melhor forma de descrever como a carreira de Marcel Fortuna se desenhou no MMA. Se ainda em 2011 o catarinense se mudou para os EUA em busca de novos ares e melhores condições de treinamento, foi no final de 2016, pouco depois de retornar ao Brasil, e já com o cartel de oito vitórias e apenas uma derrota no octógono, que ele assinou com o UFC.

Prestes a estrear na organização, o atleta, também conhecido como "Mãozinha", deixou os EUA de volta ao Brasil com sua esposa e filho de dois anos, ambos americanos, quando se desentendeu com o dono da academia em que dava aulas. Seis meses após custear seus treinos e contas da casa sem a renda extra, ele decidiu que voltar à cidade natal seria mais seguro financeiramente.

“Voltei para o Brasil. Eu treinava e dava aula nos EUA. Parei de dar aulas quando tive um problema com o dono da academia e não tinha como me manter mais, não tinha chegado ao UFC, não tinha mais condições. Em 2015, parei de dar de aula e fiquei meio ano, aí voltei de vez. Até porque a família da minha esposa se mudou de estado”, disse, em conversa com a Ag. Fight.

Curiosamente, ao retornar ao país o catarinense foi sondado pelo empresário Lucas Lutkus, com quem rapidamente iniciou as conversas com o UFC que culminaram com o seu acerto já para o card deste sábado (4), quando encara Anthony Hamilton. No entanto, não faltaram tentativas do atleta em fazer parte da organização.

“Eu apliquei para o TUF no Brasil em 2013 mas não deu certo. Aí no meio do ano passado eu voltei para o Brasil. E foi aí que surgiu a oportunidade de assinar com o UFC. Eu fui buscar eles e não me deram, quando eu voltei para casa eles ofereceram . A gente vem trabalhando a vida inteira para chegar lá. Então estou muito feliz de ter essa oportunidade de mostrar o meu trabalho. Apesar de ter recebido a notícia de última hora – faltando apenas duas semanas -, acredito que preciso usar o meu jiu-jitsu e ir para dentro”, narrou.

No momento, sem tempo sequer para planejar seu camp, Fortuna treinava apenas realizava os exercícios de rotina quando foi convocado para compor o card da cidade do Texas (EUA). Mas com otimismo que o acompanha em sua carreira como lutador, retornar aos EUA já se torna uma meta a médio prazo.

“Minha mulher não fala, ela está se adaptando. Vai conhecendo e aprendendo. Não tinha treino de MMA em Tubarão, vinha fazendo a manutenção e cheguei a visitar o time do Brigadeiro, em Balneário Camboriú, onde eu treinaria, mas não deu tempo pois já surgiu a oportunidade. Dependendo de como forem as coisas, talvez que volte para os EUA depois de fazer minha segunda luta. Moraria de novo na Califórnia, talvez em Los Angeles”, finalizou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo