Esporte

Daniel Cormier critica postura passiva de Anthony Johnson e provoca

L.E. Baskow/Las Vegas Sun
Daniel Cormier é o campeão dos meio-pesados (93 kg) do UFC Imagem: L.E. Baskow/Las Vegas Sun

Ag. Fight

07/02/2017 07h00

 

Campeão meio-pesado (93 kg) do Ultimate e com revanche marcada contra Anthony Johnson, Daniel Cormier demonstrou não gostar da recente postura de seu próximo adversário. Os dois se enfrentarão no UFC 210, agendado para o dia 8 de abril em Buffalo (EUA), na luta mais aguardada da noite. E faltando pouco mais de dois meses para o duelo, "DC" analisou a diferença entre a maneira que seu adversário o tratou na primeira vez em que se enfrentaram e a forma como o trata agora. E por isso o dono do cinturão não hesitou ao dizer que "The Rumble" age como um bully.

Invicto desde janeiro de 2015, quando perdeu para Jon Jones, Cormier fez questão de explicar seu ponto de vista. De acordo com DC, Anthony Johnson, atleta a quem finalizou na primeira vez que se enfrentaram, percebeu que o campeão não está com medo e por isso passou a adotar uma postura ainda respeitosa. O wrestler reprovou maneira distinta de tratamento, e apontou para o fato de que essa é uma característica típica de intimidadores.

“Falando de nós, em termos de competitividade, no mundo em que vivo ele não me vence. Ele não me incomoda. A maneira de lutar de Anthony Johnson e a pessoa que ele é são o estilo de um bully, realmente são. Eu acho que um bully sempre tentará ser amigo de uma pessoa que não tem medo dele. É o que acho. Ele percebeu que: ‘Ele não está com medo de mim, então por que falar alto e esse tipo de coisa?’. Eu não gosto disso”, afirmou em recente entrevista ao programa ‘The MMA Hour’.

Atualmente com 37 anos, Daniel Cormier adotou postura diferente da praticada por seu adversário e fez questão de botar mais lenha na fogueira. Para isso, ele não hesitou em alfinetar seu oponente e garantiu que ‘The Rumble’ não passa de um atleta que desiste frente às adversidades - já que ele raramente vence lutas de virada.

“Sinceramente, isso se parece com o que ele disse na primeira vez. Ele disse que me nocautearia quando quisesse, que eu sabia o que estava me aguardando. Olhei para aquilo e disse: ‘O que acontece se você não me nocautear? O que acontece se você me acertar com seu melhor soco e eu continuar pressionando com força?’. E nós vimos o que aconteceu. Ele rolou, me deu as costas e me deixou finalizá-lo. Sim, eu acho . Não mudará. É a verdade, ele desistiu contra o Koscheck, contra o Vitor e contra mim”, analisou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo