Esporte

"Cyborg" espera resolver caso de doping, quer voltar logo e provoca campeã

AP Photo/Eraldo Peres
Imagem: AP Photo/Eraldo Peres

Ag. Fight

14/02/2017 08h00

 

Invicta desde maio de 2005 no MMA, Cristiane Justino, mais conhecida como ‘Cyborg’, descobriu no último sábado (11) quem será sua próxima adversária no Ultimate. Isso porque Dana White, presidente do UFC, garantiu que a vencedora do duelo pelo cinturão inaugural do peso pena (66 kg) entre Holly Holm e Germaine de Randamie a enfrentaria. No entanto, antes de enfrentar a holandesa, a atleta da Chute Boxe precisa resolver seus problemas com a USADA (Agência Nacional Antidoping dos Estados Unidos).

'Cyborg' testou positivo no final de 2016 para um exame antidoping surpresa. Em sua defesa, ela alegou se tratar de um medicamento utilizado para aliviar os sintomas do corte de peso pelo qual passou em suas últimas apresentações. E, após Dana White demonstrar otimismo sobre o desenrolar do caso, a brasileira desconversou e garantiu não ter novidades sobre seu julgamento, mesmo que tenha apontado para um rápido retorno às competições.

“Ainda não tenho nenhuma novidade da USADA (sobre o doping). Fiz alguns exames e tudo mais que a USADA pediu e que poderia ajudar no meu caso. Espero que tudo se resolva rápido. Noticiei tudo sobre minha saúde. No começo de tudo eu estava triste pela minha saúde, mas agora preciso esperar e ver o que acontece. Lutando agora ou depois, estarei saudável e pronta”, afirmou em entrevista ao programa ‘The MMA Hour’.

Sem lutar desde setembro de 2016, quando nocauteou Lina Lansberg no UFC Brasília, ela já demonstra ansiedade para retornar ao "cage". E na próxima vez que se apresentar no evento, a curitibana não precisará realizar o drástico corte de peso de que tanto reclamou em suas últimas apresentações – quando bateu 63,5 kg, dois quilos e meio a menos do que o de sua categoria de origem. Com seu retorno estimado ainda para o primeiro semestre deste ano, Cyborg revelou que já voltou a treinar.

“Lutei três vezes em oito meses. Nas últimas duas lutas cortei até 140 libras (63,5 kg), e foi um corte de peso muito ruim para mim e para minha saúde. E por isso disse ao UFC que não poderia lutar até março e que precisava de um tempo para me recuperar. Disse que não lutaria mais no 140 libras, e sim no 145 libras (66 kg).  Está melhor agora (meu corpo). Fiz alguns exames, e já até comecei a treinar. No momento eu como bem, coisas saudáveis. Em breve lutarei novamente, e trarei notícias melhores”, relatou a atleta.

E após analisar seu retorno ao Ultimate, Cyborg também comentou a atitude contraditória de sua próxima adversária. Ainda no octógono, depois da vitória sobre Holly Holm, Germaine se esquivou da luta contra a brasileira ao alegar uma lesão na mão. No entanto, a holandesa usou uma de suas redes sociais, logo em seguida, para sugerir uma revanche contra sua última adversária – o que não foi visto com bons olhos pela curitibana. Ela então tratou de provocar a campeã, e garantiu duvidar que o UFC faça a revanche.

“Me parece engraçado (Germaine dizer que está machucada e logo depois propor revanche a Holly). Ela sabia, desde antes, que se vencesse enfrentaria Cyborg. Quem vencesse seria minha próxima adversária. Não acho que a revanche aconteça. Eu gosto de lutas excitantes, e essa não foi”, analisou a atleta que acumula 17 vitórias e uma derrota em seu cartel.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo