Islandês diz que evitou nocaute para não prejudicar rival: "Ele é modelo"

Ag. Fight

  • Florian Sadler

    Gunnar Nelson (esq.) quis poupar a beleza de Alan Jouban

    Gunnar Nelson (esq.) quis poupar a beleza de Alan Jouban

Gunnar Nelson deu sequência ao seu bom momento na carreira com mais uma vitória no maior torneio de MMA do mundo. Diante de Alan Jouban, o islandês finalizou o adversário com uma guilhotina no segundo assalto e, de quebra, deixou o UFC Londres com o prêmio de "Performance da Noite". Mas o mais interessante foi dito após o duelo, quando o companheiro de Conor McGregor comentou sua vitória.

Especialista em luta agarrada e jiu-jitsu, Nelson não pensou duas vezes quando teve a oportunidade de utilizar suas melhores credenciais para acabar com o combate. E, em entrevista a jornalistas após o evento, ele deixou claro que optou pelo caminho mais tranquilo para deixar o octógono com o braço levantado.

"Foi apenas a abertura mais óbvia para mim. Pensei que a maneira como foi acabou sendo a mais clínica, na verdade. Ao invés de correr para cima e jogar um monte de socos para conseguir o nocaute, ele já estava fora", disse.

Mas Gunnar Nelson também aproveitou para, com bom humor, revelar algo curioso. De acordo com o islandês, a vitória por finalização também foi melhor para o seu oponente. Isso porque Jaboun é considerado um dos atletas mais bonitos do Ultimate e inclusive faz trabalhos como modelo para marcas de relógio e roupa.

"Não precisou que eu desse alguns socos no rosto dele. Ele é um cara bonito também. Ele é modelo. Não precisava disso", brincou o islandês.

Com 16 vitórias, duas derrotas e um empate, Gunnar Nelson atualmente ocupa a nona colocação na divisão dos meio-médios (77 kg). Seu último revés foi para Demian Maia, em dezembro de 2015.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos