Esporte

Cormier lamenta aposentadoria de Johnson: "Não sinto que deva partir"

Josh Hedges/Zuffa LLC
Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC

Ag. Fight

10/04/2017 08h00

 

Apesar dos grandes combates e dos nomes renomados que fizeram parte do evento, o UFC 210 certamente será marcado pelo anúncio da aposentadoria de Anthony Johnson após sua derrota na disputa do título meio-pesado (93 kg) para Daniel Cormier. Isso porque ‘Rumble’, famoso por ser dono de um dos socos mais potentes da organização, possui apenas 33 anos e vivia o ápice de sua forma física no esporte. E é justamente o momento atravessado por ele na carreira que fez com que o campeão deixasse a rivalidade de lado e garantisse que, na sua opinião, ‘AJ’ não deveria pendurar as luvas.

De acordo com Daniel Cormier, a aposentadoria de Rumble afetará negativamente a divisão dos meio-pesados porque, além de ser um dos atletas mais habilidosos do Ultimate, o americano também compartilha um estilo de luta que tem na trocação agressiva a sua maior virtude, o que agrada grande parte dos fãs de MMA. No entanto, em entrevista durante a coletiva de imprensa após o UFC 210, o campeão garantiu que dá todo o apoio necessário para Anthony Johnson em sua nova empreitada fora do esporte.

“Isso é uma droga , não sinto que ele deva partir. Não sei pelo que ele está passando pessoalmente, ele disse que tem algo fora das lutas e que precisa lidar com isso. Como uma pessoa que conhece o Anthony não apenas no meio das lutas mas também fora dele, o que posso fazer é apoiá-lo. Se ele tem algo maior para fazer, então tem algo maior para fazer. Mas isso machucará a divisão porque ele é um cara legal de assistir. As pessoas gostam de assistir suas lutas, ele nocauteia os caras… Isso é uma droga mas todos temos jornadas na vida, mas acho que a sua jornada está o levando agora e nós ficaremos bem”, relatou.

Além de analisar a decisão de Anthony Johnson em se retirar do esporte, DC também não deixou de comentar sobre a volta de Jon Jones ao esporte. Isso porque o americano, que está suspenso por ter testado positivo no exame antidoping divulgado alguns dias antes da revanche marcada contra Daniel Cormier no UFC 200, estará apto para retornar ao esporte em julho de 2017. E de acordo com o campeão, a única possibilidade de um novo duelo contra ‘Bones’ não ser a atração principal de um evento é caso Conor McGregor esteja no card.

“Eu disse que eu e Jones fazemos negócios. Por conta do ódio, somos mais velhos e fizemos muito dinheiro um para o outro. Mas se não está pronto para colocá-lo na luta principal, eu entendo. Todos nós fomos envolvidos por esse jovem. Mas se estivermos em uma luta co-principal terá que ser para McGregor ou alguém assim, porque, de outra forma, quem estaria na luta principal comigo e Jones ? Não seremos atração co-principal de ninguém, teria que ser para a maior estrela do esporte, e ele é Conor McGregor”, completou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo