Esporte

Medo com corte de peso motiva Dos Anjos a mudar de categoria

Matthew Stockman/Getty Images
Dos Anjos quer subir de categoria Imagem: Matthew Stockman/Getty Images

Ag. Fight

15/04/2017 10h00

Ex-campeão dos pesos-leves (70 kg) do Ultimate, Rafael dos Anjos tomou uma importante decisão na carreira após perder o cinturão e sofrer duas derrotas consecutivas: subir de categoria. Mas, pelo visto, a mudança que foi motivada pelos drásticos cortes de peso encarados pelo atleta para bater os 70 kg não é definitiva. Prestes a estrear nos meio-médios (77 kg) contra Tarec Saffiedine no UFC Singapura, evento que será realizado no próximo dia 17 de junho, RDA admitiu que ainda pode voltar à sua divisão de origem para fazer uma superluta.

De acordo com o atleta, tudo pode ser arquitetado se houver alguma vantagem em baixar de novo para os leves. Afinal de contas, na visão de Dos Anjos, não existe motivo para sofrer com o bruto corte de peso para fazer um duelo que não lhe traga benefícios.

“Não considero a minha subida definitiva não. Eu posso vir a fazer uma superluta no peso-leve no futuro. Tudo é negociável. Vendo o que eu estou ganhando hoje em dia, não compensa eu passar por tudo que eu tenho que passar para receber a quantia que ganho atualmente. Esse foi, também, um dos motivos para eu subir de peso. Não preciso ficar me matando para ganhar o que eu estou ganhando. Mas, quem sabe uma superluta no futuro…”, declarou em conversa com a reportagem da Ag. Fight.

A maior motivação para RDA subir de categoria foi justamente o duro processo de corte de peso que estava afetando a saúde e o rendimento do atleta. O brasileiro contou que chegou a passar momentos de “pânico” quando chegava a hora de perder os últimos 7 kg para as lutas.

“Eu vou ter que desidratar um pouco ainda, mas é só para evitar aqueles 15 pounds finais que é terror e pânico. É quase a morte. Acho que não preciso mais passar por isso. Quero lutar bem e lutar feliz agora. Entrar lá forte e em forma”, afirmou.

Apesar de ter vivido um dos piores anos da carreira em 2016, quando perdeu o cinturão dos leves e as duas lutas que disputou, Dos Anjos deixou claro que não está abalado mentalmente. Segundo o atleta, que revelou que não buscou um acompanhamento psicológico, o seu rendimento é maior quando ele está pressionado.

“Eu acho que 2016 foi um ano difícil para mim, mas não tenho nenhum psicólogo comigo não. Eu não fico abalado com esse tipo de coisa. Derrotas acontecem e eu trabalho melhor quando estou sob pressão. Acredito que estou em um momento delicado agora, mas que tudo acontece por um motivo”, apontou.

Para o duelo no UFC Singapura, RDA terá pela frente um adversário experiente e perigoso, ex-campeão do Strikeforce. E, consciente de que a luta não será fácil, Dos Anjos sinalizou que ditar o ritmo do combate será determinante para derrotar Saffiedine.

“Ele é um cara trocador, um cara forte e um ex-campeão também. Tem quedas em seu repertório, derruba bem e defende bem as quedas. É dono de um bom jiu-jitsu também. Mas eu acho que o meu jogo de pressão, de andar para frente e de puxar o ritmo da luta fará a diferença”, finalizou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo