MMA

Treinador revela como adaptou treinamentos para idade de Wanderlei Silva

Ethan Miller/Getty Images
Wanderlei Silva Imagem: Ethan Miller/Getty Images

Ag. Fight

05/05/2017 07h00

Escalado para liderar o maior card da história do Bellator, Wanderlei Silva finalmente medirá forças contra Chael Sonnen, rival com quem alimenta uma forte rivalidade desde os tempos em que estrelaram o TUF Brasil 3 (reality show do UFC), ainda em 2014. O combate entre os dois será realizado no próximo dia 24 de junho, em Nova York (EUA), e, para se preparar para o confronto, o ex-campeão do Pride resolveu fazer seu camp na academia Evolução Thai. E se depender da análise de André "Dida", líder da equipe curitibana, "Wand" estará preparado para bater o falastrão americano, já que toda a rotina de treinamentos está sendo adaptada para o corpo e a idade do veterano.

Aos 40 anos, Wanderlei Silva não sobe no cage desde março de 2013, o que explica a preocupação de Dida em montar um cronograma de preparação específico para as necessidades físicas de seu amigo pessoal e agora aluno - já que, em meio ao alto nível do MMA, o risco de lesões é constante na vida dos lutadores. No entanto, em entrevista à reportagem da Ag. Fight, Dida fez questão de garantir que, apesar da idade, Wand ainda é capaz de treinar de igual para igual com os atletas mais jovens da Evolução Thai.

"São poucos da geração dele que estão lutando, e ele está aí, trocando porrada firme e forte com a garotada mais jovem. Os caras fazem de três a quatro treinos por dia, e o Wanderlei treina de igual com eles. Hoje ele tem ao seu lado o fator experiência e ele usa e usará isso mais ainda. Hoje com a experiência dele não é preciso se estourar bastante no treino, mas a gente está cuidando bastante dessa parte. Adaptamos o treino para o corpo dele e para o estilo de luta do Sonnen. O Wanderlei está pronto para enfrentar ele e esse é o meu trabalho. O Wanderlei sabe o que encontrará lá em cima porque já passou por tudo", relatou.

Assim como Wanderlei Silva, Chael Sonnen também não é um novato no esporte. O americano, atleta que já disputou os cinturões peso-médio (84 kg) e meio-pesado (93 kg) do UFC, também está com 40 anos - o que, de certa forma, minimiza o aspecto idade como vantagem para qualquer um dos lados. Por isso, Dida fez questão de cravar uma vitória do brasileiro no próximo dia 24 de junho, no ginásio Madison Square Garden, e de quebra ressaltou o poder das mãos do seu aluno.

"O público terá a oportunidade de ver o Wanderlei dando uma surra nele, mostrando que é o cara e que está pronto. Não daremos esse gostinho pro Sonnen de deixar essa luta ser adiada. Minha previsão é um nocaute, porque o Wanderlei Silva entra para matar. Tiro de 12, não é nada de metralhadora, é tiro de 12, só os mísseis. Só precisamos de uma mão, de um golpe conectado. O Wanderlei tem um poder muito forte na mão, no joelho e com chute na cabeça para essa luta contra o Sonnen", analisou.

Além de relatar detalhes da preparação de Wanderlei Silva e fazer sua aposta para o combate, Dida não se esquivou da polêmica em que se envolveu com Chael Sonnen durante as gravações do TUF Brasil 3. Na ocasião, o treinador era um dos auxiliares da equipe do brasileiro, e, quando Wand e o americano começaram a brigar nos bastidores, o líder da Evolução Thai interviu de forma no mínimo discutível ao começar a desferir socos no falastrão. No entanto, o curitibano de 33 anos garantiu que se arrepende de sua atitude e, como justificativa, ponderou que agiu por impulso.

"Arrependimento me dá porque meu nome ficou na boca de um monte de gente que não presta e que não conhece nada de luta, ou até entende e quis se fazer em cima de mim. Mas eu já sei que tem cara que faz muito pior. Eu e o Wanderlei Silva temos uma história e, como já falei, era uma situação errada dos dois e não tinha como eu não agir errado dentro de uma situação errada. Não tinha o que fazer naquele momento, a emoção tomou conta do meu corpo e eu tentei terminar aquela situação o mais rápido possível. Eu vi o Sonnen agredindo, e falei: ‘Não vai agredir ninguém aqui não’. Mas graças a Deus estou mostrando meu trabalho, de cada dez atletas meus que lutam, nove vencem. As coisas estão muito boas para a Evolução Thai", completou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
UOL Esporte - MMA
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo