Topo

MMA

Sem pressa para ser campeã, Gadelha pede tempo para se tornar "invencível"

Buda Mendes/Getty Images
Claudia Gadelha Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Ag. Fight

16/05/2017 08h00

 

Grande interessada na co-luta principal do UFC 211, evento realizado no último sábado (13), Claudia Gadelha viu Joanna Jedrzejczyk manter seu cinturão dos pesos palhas (52 kg) após o triunfo por pontos sobre Jéssica ‘Bate-Estaca’. E ciente de que o triunfo da polonesa, que já a venceu em duas oportunidades, atrasará uma nova chance para disputar o título, a brasileira garantiu que não tem pressa para ocupar o posto de melhor do mundo.

Depois de sua última luta contra a rival polonesa, em julho de 2016, Claudia se mudou para os EUA, abriu sua própria academia e alterou sua base de treinamento para a cidade de Albuquerque, no estado do Novo México. E é de lá que ela busca a motivação necessária para se tornar uma lutadora imbatível, seja lá quanto tempo esse processo demore.

"Não sei o que vai acontecer daqui para frente. Não estou penando nisso, mas claro que quero ser campeã do UFC. É o objetivo da minha vida. Mas quero mais tempo para evoluir mais e ser ainda melhor. Quero me tornar invencível. Sem pressa, estou fazendo o meu, melhorando a cada dia para entrar lá sem dúvidas", disse a lutadora em conversa com a reportagem da Ag. Fight.

O primeiro passo a corrigir para alcançar seu ápice, de acordo com a própria atleta, foi evoluir em sua preparação física. Se no segundo encontro no octógono com a campeã polonesa seu ritmo de combate caiu vertiginosamente nos dois últimos dos cinco rounds realizados, Gadelha garante estar com o gás em dia atualmente. E para isso foi necessário contratar um preparador físico especializado.

"Evoluí em tudo . Nos últimos meses, me transformei uma nova lutadora, com a cabeça diferente, com um jogo totalmente diferente. Melhorei tudo o que fazia, wrestling, jiu-jitsu e boxe. A evolução maior foi minha parte física, que era meu maior defeito. Contratei preparador aqui de uma universidade, e isso está fazendo diferença. Treinar sabendo que não vou cansar me deixa com a mente tranquila. A parte física foi o que mais melhorou", garantiu antes de enaltecer sua coragem em mudar de equipe e país.

"Tudo depende do que você está procurando. Se eu tivesse vindo com a mente fechada achando que sabia tudo e não abrisse minha mente para novas coisas e métodos de treinamento, nada teria mudado. Acho que a diferença vem daí, de querer mudar e aprender. Vim de mente aberta para tentar coisas novas. Não adianta querer resultados com as mesmas coisas. Treinei no mesmo camp por dez anos e mudei para ter resultados diferentes. E estou tendo".

Com duelo marcado contra Karolina Kowalkiewicz, polonesa que também só foi derrotada por Joanna em sua caminhada no MMA, Claudia deve, em caso de vitória, voltar a figurar como uma das favoritas ao posto de nova desafiante. E, ao que parece, sua confiança para este duelo é maior do que nunca.

“Acho que vai ser lutão. As duas tem coração forte, andam para frente o tempo inteiro. É o ponto mais forte da Karolina, ela é dura. Mas, tecnicamente, acho que ela peca muito. Vai ser aí que vou sobressair, sou mais técnica e acho que ela vai errar”, analisou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!