MMA

José Aldo decreta fim de polêmicas com McGregor e descarta revanche

Alexandre Loureiro/UFC/Divulgação
José Aldo será a estrela do UFC 212, no Rio de Janeiro Imagem: Alexandre Loureiro/UFC/Divulgação

Ag. Fight

25/05/2017 19h06

Campeão dos pesos-penas (66 kg), José Aldo será a grande estrela do card do UFC 212, evento agendado para o próximo dia 3 de junho, no Rio de Janeiro. E, diante de Max Holloway, desafiante que acumula dez triunfos seguidos na organização, o atleta da Nova União ainda se vê envolto a perguntas sobre o eterno rival Conor McGregor, único homem a vencê-lo no octógono mais famoso do mundo.

Entre questões sobre o estilo de promoção do irlandês, o desejo de uma revanche ou a possibilidade de McGregor encarar Floyd Mayweather em uma luta no boxe profissional, Aldo afirmou em conversa com jornalistas nesta quinta-feira (25), que este cenário alcançou o limite. E, por isso, ele descartou de uma vez por todas a chance de medir forças mais uma vez com o agora campeão dos pesos-leves (70 kg).

“Isso não existe mais, o UFC tentou fazer uma luta e ele não aceitou, e não vai aceitar, porque aquilo nunca mais vai acontecer. Então, vamos deixar claro. Ficam sempre me perguntando, que o Aldo fez isso… Fez nada. Continuo sendo eu, sou esse cara. Não tenho como mudar. Foi bom porque me trouxe dinheiro, mas o resto continua normalmente”, narrou em resposta a reportagem da Ag. Fight.

Ao mesmo tempo, ciente da superexposição que o duelo, realizado em dezembro de 2015, causou em sua imagem, o brasileiro reconhece as vantagens causadas pela popularidade do irlandês. Por sinal, não apenas para ele, mas como para todos os pesos-penas do UFC, que por anos formaram uma das divisões menos atrativa  para o grande público de MMA.

“Por um lado foi bom, vamos falar assim, porque trouxe um lado muito maior do que já tínhamos. Para a categoria e para mim. Mas por outro lado, falar da luta, foi coisa passada. Todo mundo fala se quero ou não, não depende de mim, e sim do UFC. E a gente sabe que não vai acontecer”, garantiu antes de mirar para o fim da rivalidade que travou com o irlandês.

“Vejo declarações de atletas e repórteres: ‘O Aldo não sei o que’. Meu irmão, não tem como, o cara não quer lutar mais e isso não vai acontecer. E é até bom bom que nunca mais falem no meu nome ou no do cara. Estou pouco me importando para o que o Conor vai fazer ou deixar de fazer. Sou atleta do UFC”, finalizou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Blog do Ohata
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo