MMA

Aldo analisa falta de renovação do MMA nacional: Não vejo um fora de série

Alexandre Loureiro/UFC/Divulgação
Imagem: Alexandre Loureiro/UFC/Divulgação

Ag. Fight

02/06/2017 08h00

 

Campeão peso-pena (66 kg) do UFC, José Aldo encara Max Holloway neste sábado (3) em novo desafio para provar sua supremacia no MMA mundial. Curiosamente, assim como em julho do ano passado, apenas ele e Amanda Nunes são os brasileiros donos de cinturões do maior show do mundo, o que detona a dificuldade do Brasil em reassumir o posto de país dominante nesse esporte.

Anos atrás, quando nomes como Anderson Silva, Rodrigo ‘Minotauro, Maurício ‘Shogun’ e Lyoto Machida estavam no auge de suas carreiras, cinturões eram uma constante e a briga pela hegemonia do esporte era disputada a unha com os EUA. Atualmente, no entanto, o cenário é de vacas magras e ao que tudo indica, ao menos na visão de Aldo, levará um tempo até que voltemos a dominar os topos das divisões.

“Acho que os brasileiros que não conseguiram a renovação ainda para dar continuidade. A gente teve Anderson, Cigano e Shogun também. Não apareceram atletas brasileiros com o mesmo estilo de luta que poderia dar seguimento a esse legado. Mas isso é fase, isso é normal. Nós já tivemos muitos cinturões, e vamos ter outros. Cigano acabou de perder , mas pelo menos estamos ali. Mas isso faz parte, né, a vida em si muda bastante. Fora de série eu não vejo ninguém ainda”, afirmou durante conversa com jornalistas na última quinta-feira.

Questionado sobre a pressão de manter o nome do País em alta, Aldo minimizou. Em discurso rápido, o atleta da academia Nova União garantiu que não vê responsabilidade maior por isso e que lutará da mesma forma contra o rival havaiano, sempre buscando o nocaute.

“Não me importo com isso , estou nessa carreira faz tempo e sou campeão há muito tempo. Estou bem tranquilo, estou acostumado com essa pressão e tiro isso de letra. Pode ter certeza que do meu lado não tem pressão nenhuma e que vou subir lá e vencer mais uma vez. Sou um cara ofensivo que procura lutar o tempo todo, e ele também”, narrou antes de enaltecer a oportunidade de mais uma vez liderar um show em casa.

“Não serei campeão para sempre, espero que algum dia alguém possa estar entrando. Motivado eu sempre estarei, nunca vou chegar aqui e ficar de costas. Isso é o que sei fazer da minhas vida, foi o que escolhi. Tenho que estar sempre nos melhores eventos e estar aqui no Rio de Janeiro para mim me dá uma motivação maior ainda. Fico muito feliz de estar encabeçando esse card”, finalizou.

Campeão linear dos penas, Aldo luta pela unificação dos títulos. Aos 25 anos e embalado por dez triunfos seguidos no cage, Max Holloway é dono do título interino, conquistado no final de 2016 após vitórias sobre Anthony Pettis.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Redação
Redação
Na Grade do MMA
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Na Grade do MMA
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Topo