Esporte

Em duelo apertado, Belfort volta a vencer e desabafa: "Terão que me engolir"

Ag. Fight

04/06/2017 00h39

Vitor Belfort voltou a ter o seu braço erguido dentro do octógono. Após três lutas sem vencer, o ‘Fenômeno’ derrotou Nate Marquardt na antepenúltima luta do UFC 212, disputado neste sábado (3), no Rio de Janeiro. Diante de uma Jeunesse Arena completamente lotada, o ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) do Ultimate levou a melhor por decisão dos juízes laterais.

Com muita expectativa sobre o futuro do brasileiro, Belfort afirmou após o combate que sua aposentadoria não está perto e também lamentou o fato de não ter conseguido o nocaute. Foi a 26ª vitória na carreira do carioca, que também conta com 13 derrotas.

“Eu estava muito empolgado, então eu tive que ter paciência. Peço desculpas por não ter nocauteado, mas eu vinha de três lutas difíceis. Ainda assim eu queria nocauteado. Vocês terão que engolir o Vitor Belfort. Eu vou me reinventar e voltar”, afirmou o Fenômeno.

A luta

Após pouco tempo de estudo, o americano logo colocou a luta para baixo e caiu por cima. A posição era perigosa para Belfort, mas após segundos sem muita ação, o árbitro central interrompeu o duelo e recolocou os atletas em pé. Diferentemente do habitual, o brasileiro continuou bem cauteloso até o fim do assalto e Marquardt acabou levando a melhor nos primeiros cinco minutos.

Empurrado pela torcida, Belfort teve bons momentos na parcial seguinte e, com uma sequência que envolveu socos e chute alto, chegou a balançar o rival. Mas o ímpeto e a explosão de outrora pareciam não estar mais com o carioca e na sequência do round o ritmo caiu novamente. No último assalto, o carioca passou três minutos sem praticamente atacar e quando pressionou no fim foi mais perigoso. Foi o suficiente para os juízes entenderem que ele reverteu o placar. Vitória de Vitor Belfort por decisão unânime.

Paulo ‘Borrachinha’ x Oluwale Bamgdose

Com dois atletas extremamente explosivos dentro do octógono, o duelo não poderia começar de maneira diferente: muita trocação franca e perigo eminente de nocaute a todo instante. No início, Bamgbose parecia estar melhor e tomando conta do duelo, mas Borrachinha foi entrando na luta aos poucos e, com golpes no corpo do rival, acabou virando.

No assalto seguinte, Borrachinha não teve aquele mesmo início complicado e dessa vez pressionou desde o começo. Com um chute baixo, o brasileiro derrubou o rival e passou a disparar golpes por cima até que Bamgbose ficasse completamente incapaz de responder à altura e o juiz interrompesse. Foi o segundo triunfo de Paulo Borrachinha no Ultimate. Ele ainda não sabe o que é perder em sua carreira.

“Eu dei o meu máximo aqui e é o mínimo que posso fazer para agradecer a todos que vieram aqui. Ele é um cara muito duro e que movimenta muito. Treinei muito e sabia que quando eu conectasse a minha mão ele iria sentir, mas ele usa muito bem o octógono e é muito difícil. Gostaria muito de lutar contra um top 10. Minha performance anterior e esse acho que me credencia para isso”, afirmou logo após a luta.

Yancy Medeiros x Erick Silva

Não deu de novo para Erick Silva. O capixaba que abriu o card principal do UFC 212 sucumbiu a Yancy Medeiros e chegou ao seu terceiro revés nas últimas quatro lutas, fazendo com que sua situação no Ultimate comesse a ficar bastante preocupante. Depois de um primeiro round equilibrado onde o brasileiro levou deu brechas, mas terminou o assalto pressionando, os cinco minutos seguintes não chegaram ao fim.

Após boa sequência de golpes do americano, Erick foi ao chão e o árbitro central rapidamente interrompeu o combate. O brasileiro não gostou da interrupção e a torcida menos ainda, já que xingaram bastante a autoridade do duelo. “Acho que ele aguentava mais, mas o meu trabalho não é parar lutas ou não. Isso é com o árbitro”, disse Medeiros ainda dentro do octógono.

CARD PRINCIPAL 

Paulo Borrachinha venceu Oluwale Bamgdose por nocaute no segundo round;
Yancy Medeiros venceu Erick Silva por nocaute no segundo round.

CARD PRELIMINAR 

Cara de Sapato venceu Eric Spicely por finalização (mata-leão) no segundo round;
Mathew Lopez venceu Jhonny Eduardo por nocaute técnico no primeiro round;
Brian Kelleher venceu Iuri ‘Marajó’ por finalização (guilhotina) no primeiro round;
Viviane Sucuri venceu Jamie Moyle por decisão unânime dos juízes laterais;
Luan Chagas venceu Jim Wallhead por finalização (mata-leão) no final do segundo round;
Deiveson Alcântara venceu Marco Beltrán por interrupção médica após o fim do segundo round.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo