MMA

Após vitória, Assunção pede para disputar cinturão dos galos do UFC

Marcelo de Jesus/UOL
Raphael Assunção venceu Marlon Moraes por decisão dividida no card preliminar Imagem: Marcelo de Jesus/UOL

Ag. Fight

05/06/2017 06h00

 

No último sábado (3), Raphael Assunção superou Marlon Moraes no UFC 212, evento realizado no Rio de Janeiro, e pode ter se credenciado como o próximo desafiante ao cinturão dos pesos-galos (61 kg). Com apenas uma derrota desde 2011, o atleta ocupa atualmente a terceira posição no ranking da categoria e acredita que conquistou a sua para o próximo title-shot.

Com seu jeito tranquilo e humilde, Assunção não costuma pedir lutas ao Ultimate. Contudo, após a vitória em cima do ex-campeão do WSOF, o pernambucano não se conteve e garantiu ter trilhado o seu caminho rumo à disputa do título.

“A campanha está um pouco morna (risos), mas acho que eu trilhei o caminho, pensando nas vitórias que acumulei e nos atletas que eu já enfrentei. É complicado, eu tenho uma personalidade que, humildemente falando, as pessoas me acham muito ‘bonzinho’. Mas, no papel, acho que está provado. O Marlon era o favorito e eu o azarão para essa luta. Ele vinha de uma sequência de treze vitórias consecutivas. Enfrentei também o Pedro Munhoz que também está em uma excelente sequência no UFC, então, o que mais preciso fazer? Só se eu entrar agora para uma escola de teatro e começar a fazer palhaçada… Acho que trilhei o meu caminho para a disputa de cinturão”, declarou durante conversa com jornalistas após a sua luta.

Em uma luta marcada por cautela e respeito e que poderia ir para qualquer um dos atletas, Assunção saiu com a vitória na decisão dividida dos juízes. Contudo, na visão do pernambucano, ele levou ligeira vantagem uma vez que controlou o centro do cage e buscou mais o combate.

“Eu achei que eu ganhei a luta. É claro que sempre tem aquele juiz que pode ter interpretado diferente. Mas, achei que eu controlei mais o centro do octógono e que venci a luta.De qualquer forma, as opiniões dos juízes às vezes são diferentes, é difícil pensar como eles enxergam a luta”, afirmou.

Desde que estreou no Ultimate em março de 2011, Assunção só saiu derrotado do octógono em duas oportunidades. Aos 34 anos de idade, o pernambucano coleciona na carreira um cartel com 25 triunfos e cinco reveses.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Redação
Topo