MMA

Zingano releva furada de fila e quer 'Cyborg' como seu "objetivo final"

Divulgação/InvictaFC
Imagem: Divulgação/InvictaFC

Ag. Fight

22/06/2017 16h13

 

Após fazer campanha através de suas redes sociais para enfrentar Cris ‘Cyborg’, Cat Zingano viu sua empreitada ir por água abaixo com a decisão do Ultimate em confirmar Megan Anderson, australiana recém-chegada do Invicta FC, como adversária da brasileira na disputa pelo cinturão vago da divisão peso-pena (66 kg) feminina. E com o anúncio de que estaria fora do UFC 214, evento em que a luta acontecerá, a norte-americana até se mostrou aberta enfrentar Holly Holm, mas não escondeu o fato de que seu grande objetivo segue sendo a curitibana.

Em entrevista ao site ‘FloCombat’, a americana tratou a furada de fila por parte da australiana com muita naturalidade, e de quebra não escondeu a certeza de que em breve chegará a sua vez de subir ao octógono com Cyborg. No entanto, enquanto a oportunidade não chega, Zingano deu indícios de que procurará se manter ativa no esporte e inclusive alternar combates entre a nova divisão e a dos galos (61 kg) feminina – sua categoria de origem no UFC.

“Eu espero ser capaz de ir e voltar entre  penas e galos até ter se estabelecido. Cyborg é o meu objetivo final neste momento, e ela pode ganhar o cinturão. Até lá, estou apenas trabalhando duro, de forma inteligente e esperando que meu corpo me diga que é hora de ir à guerra”, relatou a ex-desafiante ao cinturão peso-galo feminino do UFC.

Além de ressaltar o interesse em enfrentar a brasileira, a quem ele define como sua meta no MMA, Zingano também aproveitou para deixar as portas abertas para uma sugestão dada pela própria Cris Cyborg: a de enfrentar Holly Holm, ex-campeã dos galos e última desafiante na divisão dos penas. De acordo com a americana, essa seria uma boa oportunidade de trazer mais competitividade para a categoria - e, quem sabe, interromper a sequência de duas derrotas que vive no Ultimate.

“Holm é uma boa para mim, meus treinadores estão ansiosos para ouvir sobre essa possibilidade. Estou interessado e, quando for a hora certa, ficaria feliz medir forças com ela. Precisamos construir essa divisão até 66 kg, acho que existe todo o talento disponível no mundo, nós apenas precisamos nos organizar e colocar algumas boas lutas”, completou.

 

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
UOL Esporte vê TV
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo