MMA

Árbitro brasileiro interrompe luta principal no UFC e é detonado por Dana

Brandon Magnus/Zuffa LLC via Getty Images
Kevin Lee vence Michael Chiesa após interrupção da luta por Mario Yamasaki Imagem: Brandon Magnus/Zuffa LLC via Getty Images

Ag. Fight

26/06/2017 00h51

Na luta principal da noite do UFC Oklahoma, evento realizado neste domingo (25), os pesos-leves (70 kg) Michael Chiesa e Kevin Lee colocaram toda a rivalidade em jogo e, depois de cinco minutos de ação, a polêmica entre eles apenas aumentou diante da decisão do árbitro brasileiro Mario Yamasaki.

Melhor no início, Chiesa, especialista em jiu-jítsu acertou golpes em pé e, ao cair por baixo, quase encaixou um triângulo. Mas, afoito, o americano tentou aplicar uma chave de braço que permitiu ao oponente passar sua guarda e pegar as costas. E de lá o final do combate foi decretado.

Depois de punir Chiesa com fortes golpes, Lee encaixou um mata-leão que, justo, dava a entender que o final do confronto estava próximo. No entanto, o árbitro brasileiro aparentemente entendeu que o atleta havia desmaiado e interrompeu a disputa, para insatisfação da plateia, que passou a vaiar de forma insistente.

"Eu estava tentando defender o braço dele. Não vou falar nada do árbitro. Mas, Lee, te vejo em dezembro em Detroit", clamou Chiesa por uma revanche.

No Instagram, o presidente do UFC, Dana White, criticou duramente a decisão do árbitro brasileiro. "Mário Mazzagatti fez isso de novo!!! Esse cara está mais preocupado com essa idiotice de fazer esses coraçõezinhos do que em apitar a luta!!! Roubou um excelente momento do Lee e ainda impediu que Mike lutasse ou batesse. Ninguém dá a mínima se você faz um coraçãozinho com suas mãos, igual uma garota de 12 anos. As pessoas querem que você preste atenção no que está acontecendo na luta e faça o seu trabalho", escreveu no Instagram.

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Ex-campeões decepcionam

Ainda no card principal, dois atletas deixaram a desejar apesar do currículo invejável e colocaram em xeque suas próprias carreiras. Ex-campeões, Johnny Hendricks e BJ Penn não renderam o esperado e acabaram derrotados no cage em apresentações que levantam dúvidas sobre os próximos passos de cada um deles no octógono.

Ex-número um dos meio-médios (77 kg), Hendricks, que a partir de 2015 enfrentou diversos problemas com a balança e que recentemente subiu para os médios (84 kg), não bateu o peso correto de sua categoria no último sábado e, visivelmente fora de forma, não viu a cor a bola diante de Tim Boetsch.

Menor, com menos envergadura e lento, o wrestler tentou caçar o rival no primeiro assalto, mas sempre foi recebido por uma combinação de chutes baixos e altos que o mantiveram à distância. Para completar, diretos de encontro deixaram o ex-campeão desnorteado e visivelmente cansado para o segundo assalto.

Com movimentação limitada, Hendricks foi encurralado e, após descuido de movimentação, recebeu um knockdown com um chute alto de direita. Na sequência, Tim Boetsch conectou forte ground and pound e obrigou o árbitro a interromper a disputa.

Fim de uma era

Todos sabem que é difícil parar. No entanto, contra fatos não há argumentos e parece que a aposentadoria de BJ Penn (a terceira em sua carreira) deve ser oficializada em breve. Sem vencer desde 2010, o havaiano deu uma pausa na lista de tops das categorias em que compete e, mesmo enfrentando um rival longe do topo, acabou superado por pontos.

Apesar de aplicar um knockdown e proporcionar dois rounds parelhos, Penn, ex-campeão dos meio-médios (77 kg) e dos leves (70 kg) cansou de novo e se tornou alvo fixo na terceira e última etapa. Desta forma, ao ser superado por decisão majoritária (um dos árbitros marcou empate) pelo rival da mesma idade, não resta mais argumentos para que o membro do Hall da Fama ainda sonhe em chegar ao topo dos pesos-penas (66 kg).

Confira os resultados do UFC Oklahoma:

Kevin Lee venceu Michael Chiesa por interrupção do árbitro;
Tim Boetsch nocauteou Johny Hendricks no 2º round;
Felice Herrig venceu Justine Kish por decisão unânime;
Dominick Reyes nocauteou Joachim Christensen  no 1º round;
Tim Means venceu Alex Garcia por decisão unânime;
Dennis Siver venceu B.J. Penn por decisão majoritária;
Clay Guida venceu Erik Koch por decisão unânime;
Marvin Vettori venceu Vitor Miranda por decisão unânime;
Carla Esparza venceu Maryna Moroz por decisão unânime;
Darrell Horcher venceu Devin Powell por decisão dividida;
Jared Gordon nocauteou Michel Quiñones no 2º round;
Tony Martin venceu Johnny Case por decisão unânime;
Jeremy Kimball nocauteou Josh Stansbury no 1º round.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
EFE
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo