MMA

Ex-UFC, 'Patolino' se revolta com promotores de MMA: "Falta de respeito"

Gaspar Nobrega/inovafoto
Patolino agora luta pelo evento Fight2Night, de Bruno Gagliasso – Jéssica Portasio Imagem: Gaspar Nobrega/inovafoto

Ag. Fight

02/07/2017 09h00

William ‘Patolino’ ganhou grande visibilidade no MMA nacional ao participar do TUF Brasil 2, o reality show do UFC. O carioca acabou perdendo para Léo Santos a final e sua passagem pelo Ultimate não foi como a esperada, chegando ao fim após três derrotas em quatro duelos. Com isso, o atleta de 25 anos teve que voltar à realidade dos eventos nacionais, e parece não estar nada feliz.

Em um vídeo gravado para sua página no Facebook (assista abaixo ou clique aqui), Patolino desabafou sobre a atual situação do MMA no Brasil. Revelando que foi procurado por um promotor de evento para indicar atletas, o ex-UFC expôs a situação complicada que passa aqueles que tentam viver do esporte no país.

"Estou muito p***. As coisas estão de um jeito no MMA brasileiro que não tem cabimento. Estou vendo promotores de MMA atrás de atletas e querendo pagar R$ 500 + R$ 500 se vencer a luta. E eles não querem pagar passagem aérea. Isso é um absurdo! Falta de respeito", esbravejou.

"Quem faz a festa não são os promotores, são os atletas. É o cara que sobe lá em cima e sai na porrada. Não é a ring girl, o cara que está sentado ou o juiz. Esses são complementos. Tem que ser respeitado. Isso é palhaçada, isso é f***", continuou Patolino.

O carioca também fez ‘mea culpa’ ao afirmar que os atletas que se prestam a lutar nessas condições também ajudam a piorar o cenário já complicado. Patolino também relembrou que ele mesmo subiu no cage sem receber nenhum retorno financeiro no passado. O ex-UFC aproveitou para mandar um recado aos lutadores brasileiros.

"Eu não aceito subir lá por uma mixaria dessa. Muitos não aceitam, mas alguns aceitam e são esses que estragam tudo. Porque o cara não vai vir em mim, que luto por tanto, ou em outro que também luta por tanto. Ele vai naquele que luta por ingresso ou por nada. Mas também não critico porque eles precisam e eu também já fiz isso. Subi lá em cima tendo que vender ingresso para ganhar algo no fim do evento. A gente precisa se unir e entender o nosso valor. Somos nós quem fazemos o show", encerrou.

Patolino detém um cartel de nove vitórias e três derrotas na carreira. Suas duas últimas lutas foram pelo Fight2Night, evento organizado pelo ator Bruno Gagliasso.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
EFE
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo