Topo

MMA

Amanda Nunes admite que agenda de campeã do UFC atrapalha treinamento

Lucas Lima/UOL
Amanda Nunes é a atual campeão do peso-galo feminino Imagem: Lucas Lima/UOL

Ag. Fight

04/07/2017 19h13

Campeã peso-galo (61 kg) e única brasileira dona de um cinturão do UFC, Amanda Nunes foi de encontro a todos os seus sonhos na temporada 2016. Ao todo, foram três vitórias convincentes em cards com mais de um milhão de pay-per-view vendidos que lhe renderam fama instantânea, dinheiro e muitos compromissos oficiais. Tanto que viagens, coletivas e aparições em programas de TV se tornaram rotina a ponto de atrapalharem no treinamento da baiana.

E quem garante é a própria ‘Leoa’, que durante conversa com jornalistas brasileiros através de videoconferência nesta terça-feira (4) revelou que as exigências da agenda de uma campeã impedem um cronograma normal de treinos. Barreira esta que não foi intransponível, embora tenha exigido mudanças no dia a dia da atleta.

“Acaba atrapalhando sim, quando você viaja tanto.. Tem que voltar com treinadores, fazer planilha, parte de alimentação… Mas faz parte do meu trabalho. Tenho que cumprir tudo o que o UFC manda. Quando cheguei em casa, depois que fiz a coletiva , quando cheguei eu comecei o camp, a alimentação e o foco para luta. Deu sim, deu para ajustar todos os pontos que eu precisava. Corrigi alguns erros, deu tempo para se preparar”, garantiu a dona do cinturão.

Escalada para enfrentar Valentina Shevchenko no main event do UFC 213, evento programado para este sábado (8) em Las Vegas (EUA), Amanda fará a primeira revanche de sua carreira. Pela frente, ela terá uma atleta resistente, ex-campeã mundial de muay thai e que, apesar de dominada no primeiro duelo, terminou o primeiro confronto melhor, dando a entender que se a disputa tivesse cinco rounds (como o duelo deste sábado terá) o resultado poderia ser outro.

“No terceiro round eu me perdi, cansei um pouco. Mas sou atleta, volto para a academia para treinar e evoluir, não tem segredo. Quero mostrar que sou campeã. No dia da luta eu vou provar. Esse é o tipo de atleta que sou. Chegar e mostrar serviço. Evoluí bastante, tecnicamente, fisicamente e mentalmente. Estou pronta para a revanche”, analisou, afastando as dúvidas sobre seu rendimento em lutas longas.

Curiosamente, Amanda já foi escalada para liderar um novo card logo em sua primeira aparição após a temporada perfeita em 2016 . No entanto, quando comparado aos shows passados, o UFC 213 não conta com grande vendedores de pay-per-view como Conor McGregor, Brock Lesnar, Anderson Silva e Ronda Rousey.

Grande estrela da noite de sábado, quando colocará seu cinturão em jogo pela segunda vez, caberá a baiana garantir a repercussão necessária ao estrelado evento. Meta esta que não apenas não lhe garante pressão como é quase que automaticamente deixada de lado pela campeã.

“Sou honesta, claro que o card com a Ronda foi enorme. O mundo inteiro estava assistindo aquela luta. Estou feliz em ser o main event de novo. Claro que… Vai explodir ou algo assim, sou realista, pé no chão. Estou preparada para lutar, sou lutadora. O que tocar eu danço. Tem grandes atletas nesse card. Yoel Romero e um monte de gente que vai brilhar e fazer esse card ser grande”, finalizou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!