MMA

Amanda Nunes reclama falta de reconhecimento como campeã: "É triste"

Reprodução/UFC
Amanda Nunes encosta mão no rosto de Valentina Shevchenko Imagem: Reprodução/UFC

Ag. Fight

05/07/2017 06h00

Embalada por cinco vitórias seguidas no octógono, Amanda Nunes é um trator. Dona do cinturão peso-galo (61 kg) do UFC, a brasileira usa o estilo agressivo aliado ao poder de nocaute para promover lutas rápidas. Tanto é que de suas 18 apresentações no MMA (14 vitórias e quatro derrotas), a ‘Leoa’ chegou ao final do tempo regulamentar em apenas duas ocasiões. Mesmo assim, os resultados no cage não lhe garantem o devido reconhecimento.

Em conversa com jornalistas através de uma vídeo conferência na última terça-feira (4), Amanda afirmou que, embora o cenário esteja melhorando, ela ainda sente que não recebe os méritos na mesma proporção que conquista espaço no esporte. Afinal, antes mesmo de enfrentar Ronda Rousey em dezembro passado, a brasileira já questionava a falta de divulgação de seu nome às vésperas do duelo.

“Da forma que foi promovida aquela luta, foi um choque o resultado. Dali em diante, quem não conhecia a Amanda Nunes, passou a conhecer. Mudou muita coisa, mas as vezes, eh um pouco triste. As pessoas ainda olham as vezes e falam: ‘Você é a menina que ganhou da Ronda’. Não falam: ‘É a Amanda Nunes campeã, que ganhou da Ronda’. É um pouco triste as vezes. Mas já está mais tranquilo. Está melhorando”, narrou.

Escalada para enfrentar Valentina Shevchenko neste sábado (8), em Las Vegas (EUA), na luta principal do UFC 213, a peso-galo Amanda afirmou que a disputa  tem papel importante em sua carreira. Após vencer as atletas mais famosas da divisão, a revanche com a campeã mundial de muay thai seria a consolidação do início de seu legado e, consequentemente, a virada de mesa para que seu seus méritos sejam reconhecidos em larga escala.

“Acredito que sou a atleta que tenho que continuar provando. Ganhar e continuar até chegar o momento em que as pessoas me olhem como campeã. Mais uma luta que vou continuar provando, essa revanche… Depois dessa luta as pessoas vão começar a me chamar de campeã, me reconhecer. Tudo leva tempo. Se você não tem promoção da mídia para ajudar, você tem que fazer isso. Eu sou essa atleta”, enfatizou.

Deixando claro que esse assunto ainda não foi superado mesmo após a conquista do título, a brasileira voltou a afirmar publicamente que merece ser promovida como a campeã que é. Os efeitos dessa promoção, no entanto, já lhe fogem do controle.

“Eu sou campeã, sou a melhor do mundo. Não é que sou a cara do MMA. Sou a campeã, tenho que ser promovida como campeã. Coisa que conquistei com meu trabalho. Se isso me faz a cara do MMA…”, finalizou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo