MMA

Por sonho de cinturão, Demian Maia passa por cima de situação atípica

Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Demian Maia comemora após vencer Jorge Masvidal no UFC 211 Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Ag. Fight

11/07/2017 06h02

Demorou mais do que ele esperava, mas finalmente Demian Maia conquistou a chance de poder disputar o cinturão dos meio-médios (77 kg) do UFC. O duelo contra o americano Tyron Woodley, atual campeão da categoria, será no dia 28 de julho, no evento de número 214 do torneio. Motivo para ficar radiante e contente com a organização, certo? Bom, não é bem assim…

A luta não veio exatamente no momento em que Demian e sua equipe estavam se planejando. Depois de vencer Jorge Masvidal em maio, o brasileiro teve que aceitar o duelo pelo cinturão em um intervalo de pouco mais de dois meses entre as duas lutas, algo que nunca havia acontecido em sua carreira no MMA. Em conversa com a imprensa em um restaurante em São Paulo, o especialista em jiu-jitsu falou sobre os problemas que esse curto espaço de tempo pode causar.

"O prejuízo é que estamos acostumados com um tipo de camp e, neste caso é o menor camp que terei desde que entrei no UFC e justamente para a luta mais importante das 25 que já fiz aqui. Mas, a partir do momento que a gente aceitou a luta, porque queremos muito ser campeão, a gente tem que olhar para frente, trabalhar e fazer o melhor para chegar lá 100%. Não tem muito mais o que ficar lamentando. A choramingada a gente já deu lá entre a gente. Não abrimos para a imprensa até porque não tinha o porquê", explicou o paulista.

Demian estava acompanhado de seu treinador principal e também empresário Eduardo Alonso, que foi ainda mais duro nas palavras em sua análise da situação. Para ele, a ideia dos mandatários do Ultimate era usar o brasileiro como uma “escada” para que outros promissores atletas pudessem chegar ao topo da categoria.

"Eu acho que quando houve essa derrota para o Jake Shields e a derrota para o Rory MacDonald, apesar de serem lutas duras, ali – é uma opinião – acho que o UFC meio que desistiu e quis usar o Demian de escada para outros atletas. Isso chegou ao ápice na luta contra o Gunnar Nelson que, sem entrar em muitos detalhes, mas a gente foi insistentemente convidado a fazer aquela luta. Acho que as pessoas tinham a certeza de que o Gunnar Nelson ia ganhar e creio que eles apostavam nele como sendo a nova safra do jiu-jitsu no UFC. Mas tudo serviu de motivação. Até o último momento eles quiseram, e a constatação veio com a luta contra o Masvidal, que ainda achavam que o Demian poderia ser uma escada para outros atletas. Isso é uma opinião", disse o empresário.

Em uma das categorias mais disputadas e equilibradas do UFC, Demian vem de uma incrível sequência de sete vitórias consecutivas, que incluem triunfos diante de Matt Brown, Carlos Condit e Neil Magny. Mas, aos 39 anos, o paulista sabe que não terá muito espaço no futuro para trilhar novas oportunidades de lutar pelo título. Isso o fez refletir sobre o futuro do esporte no Brasil – e novamente questionar algumas atitudes do UFC.

"Muito difícil saber o que acontecerá com o MMA do Brasil. Porque não depende só do Brasil, depende da direção do UFC querer ser mais plural, dar mais chance a brasileiros. Do mesmo jeito que eu estou conseguindo essa chance agora com muito esforço, poderiam ter dado essa chance ao Jacaré. Depende se a direção quer manter algo mais americanizado, para o público deles. Ou se quer abrir para o mundo", sintetizou.

Dono de um cartel de 25 vitórias e apenas seis derrotas, Demian é o brasileiro com o maior número de lutas e vitórias no UFC. Em abril de 2010, o especialista em jiu-jitsu enfrentou Anderson Silva pelo cinturão dos pesos-médios (84 kg), em duelo que ficou marcado pelas provocações do então campeão.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Ag. Fight
Redação
Topo