MMA

Treinador explica por que Jon Jones é apenas faixa azul de jiu-jitsu

John Locher/AP
Jon Jones Imagem: John Locher/AP

Ag. Fight

29/07/2017 10h00

O sonho de todo treinador é ter em mãos um grande talento a ser construído ou até mesmo lapidado. Poucas vezes, porém, o destino te sorri como fez com o brasileiro Roberto Tussa. Dono de sua própria academia de jiu-jitsu na cidade de Albuquerque, ele foi convocado por Jon Jones, um dos maiores nomes da história do UFC,para afiar suas habilidades na arte suave. E mesmo com o status de gênio do ilustre pupilo, ele fez questão de exigir humildade no seu tatame.

E como resultado o que se vê é que o ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) UFC recebeu a faixa azul apenas na semana passada, mesmo tendo no currículo vitórias por finalização sobre feras do calibre de Vitor Belfort e Lyoto Machida. O segredo, por sinal, é fazer com que o americano mergulhe e conheça a filosofia do jiu-jitsu. Prática que parece estar dando certo.

"Se fosse graduar pelo grappling do MMA, ele seria preta. Já mostrou isso. Mas no jiu-jitsu, como arte marcial, tem que ter tempo de kimono, conhecer as técnicas, nomes dos golpes e filosofia. Não é só ser faixa preta, é ter o estilo de vida da arte marcial. Ele pegando a azul e trabalhando desde baixo é um exemplo para os alunos. Todos sabem que precisa no mínimo, botar o kimono duas vezes por semana. Claro, para ele as faixas virão um pouco mais cedo porque ele é extraordinário", disse em conversa com a reportagem da Ag. Fight durante do treino aberto para o UFC 214 na última quinta-feira.

Apesar de treinar e acompanhar o americano por quase quatro anos, Tussa, que recentemente indicou sua esposa para cuidar da alimentação do atleta, faz parte apenas de seu segundo camp ao lado do ex-campeão. E, apesar de toda procura midiática que isso gerou em sua rotina, o brasileiro garante que ainda consegue aprender com Jon Jones.

"Ao treinar esse tipo de atleta, aprendo com ele. Ele tem força mental, muito confiante e sempre acredita nele. É um líder. Todos se motivam com ele, energia muito boa, atleta fenomenal, aprende tudo muito rápido. Um cara completo. É fácil trabalhar com atletas assim', finalizou.

Aos 30 anos, Jon Jones disputará o cinturão dos meio-pesados neste sábado contra o eterno rival Daniel Cormier. Na primeira vez que duelaram, ainda em janeiro de 2015, ‘Bones’ levou a melhor por pontos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Na Grade do MMA
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Na Grade do MMA
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo