Topo

MMA

Treinador explica por que Jon Jones é apenas faixa azul de jiu-jitsu

John Locher/AP
Jon Jones Imagem: John Locher/AP

Ag. Fight

29/07/2017 10h00

O sonho de todo treinador é ter em mãos um grande talento a ser construído ou até mesmo lapidado. Poucas vezes, porém, o destino te sorri como fez com o brasileiro Roberto Tussa. Dono de sua própria academia de jiu-jitsu na cidade de Albuquerque, ele foi convocado por Jon Jones, um dos maiores nomes da história do UFC,para afiar suas habilidades na arte suave. E mesmo com o status de gênio do ilustre pupilo, ele fez questão de exigir humildade no seu tatame.

E como resultado o que se vê é que o ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) UFC recebeu a faixa azul apenas na semana passada, mesmo tendo no currículo vitórias por finalização sobre feras do calibre de Vitor Belfort e Lyoto Machida. O segredo, por sinal, é fazer com que o americano mergulhe e conheça a filosofia do jiu-jitsu. Prática que parece estar dando certo.

"Se fosse graduar pelo grappling do MMA, ele seria preta. Já mostrou isso. Mas no jiu-jitsu, como arte marcial, tem que ter tempo de kimono, conhecer as técnicas, nomes dos golpes e filosofia. Não é só ser faixa preta, é ter o estilo de vida da arte marcial. Ele pegando a azul e trabalhando desde baixo é um exemplo para os alunos. Todos sabem que precisa no mínimo, botar o kimono duas vezes por semana. Claro, para ele as faixas virão um pouco mais cedo porque ele é extraordinário", disse em conversa com a reportagem da Ag. Fight durante do treino aberto para o UFC 214 na última quinta-feira.

Apesar de treinar e acompanhar o americano por quase quatro anos, Tussa, que recentemente indicou sua esposa para cuidar da alimentação do atleta, faz parte apenas de seu segundo camp ao lado do ex-campeão. E, apesar de toda procura midiática que isso gerou em sua rotina, o brasileiro garante que ainda consegue aprender com Jon Jones.

"Ao treinar esse tipo de atleta, aprendo com ele. Ele tem força mental, muito confiante e sempre acredita nele. É um líder. Todos se motivam com ele, energia muito boa, atleta fenomenal, aprende tudo muito rápido. Um cara completo. É fácil trabalhar com atletas assim', finalizou.

Aos 30 anos, Jon Jones disputará o cinturão dos meio-pesados neste sábado contra o eterno rival Daniel Cormier. Na primeira vez que duelaram, ainda em janeiro de 2015, ‘Bones’ levou a melhor por pontos.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!