Esporte

Pioneira no MMA feminino, sparring de Ronda narra migração para a WWE 

Ag. Fight

04/08/2017 15h36

Shayna Baszler faz parte do plantel do UFC entre 2014 e 2015 – Diego Ribas

Precursora quando o assunto são as mulheres inseridas no mundo das artes marciais mistas, Shayna Baszler foi demitida do UFC poucos meses depois de ser nocauteada por Amanda Nunes em março de 2015. Desde então, ela até competiu no MMA mais uma vez, mas ao acumular outra uma derrota optou por assinar com a WWE, famosa liga norte-americana de telecatch. E em vídeo publicado pela organização, ela narra o seu processo de transição entre as duas modalidades. 

Sua primeira luta no World Wrestling Entertainment acontecerá no próximo dia 28 de agosto em um evento denominado ‘Mae Young Classic’, edição inaugural que é marcada pela presença exclusiva de mulheres em seu card. E de acordo com a lutadora de 36 anos que competia no MMA desde 2003 – uma época em que as mulheres não recebiam o mínimo destaque da mídia especializada -, a mudança de ares é uma forma de não abandonar a arte marcial que sempre representou: o cat wrestling. 

“Os fãs devem me conhecer do MMA, eu era considerada a atleta de pro wrestler das artes marciais mistas. Fui sortuda demais por ter estado nos melhores lugares, no topo de onde as mulheres poderiam estar até chegar ao UFC. Não sei, me sinto como uma pessoa especial capaz de ser ativa e competitiva e atravessar esses obstáculos que envolvem as mulheres nas lutas”, narrou em vídeo publicado pela página oficial da WWE no Twitter. 

“O que eu represento é o cat wrestling, e venho de uma longa linhada de cat wrestlers que foram pro wrestlers, como o Josh Barnett . Na minha opinião, a transição para o wrestling profissional é uma forma de honrar minha herança marcial. Seria uma forma de me graduar faixa-preta em cat wrestling, se existissem graduações”. 

Pioneira no MMA feminino, Baszler não se limitou apenas a explicar suas motivações para mudar de esporte, como também aproveitou para enaltecer uma amiga de longa data: Ronda Rousey, sua parceira de treinos. De acordo com a cat wrestler, Ronda também foi fundamental para que as mulheres tenham o destaque de hoje nos principais eventos de artes marciais mistas. 

“Com certeza sou uma amiga próxima e parceira de treino da Ronda Rousey, que eu acho que é comparável  em muito sentidos no que se refere as artes marciais mistas.  Alguém que ouviu - assim como todos nós ouvimos - que o UFC nunca teria mulheres ”, concluiu a americana.

What does member of MMA's "Four Horsewomen" @QoSBaszler plan on bringing to the @WWE @MaeYoungClassic this month? #MaeYoungClassic pic.twitter.com/giCtQsFFvD

— WWE (@WWE) August 4, 2017

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo