MMA

Woodley promete retaliação caso UFC disponibilize cinturão interino

Sean M. Haffey/Getty Images
Tyron Woodley comemora vitória sobre Demian Maia em luta válida pelo UFC 214 Imagem: Sean M. Haffey/Getty Images

Ag. Fight

06/08/2017 12h14

 

Apesar de ter pouco mais de um ano como dono do cinturão meio-médio (77 kg) do UFC, Tyron Woodley demonstra-se ativo desde a conquista do título – adquirido após nocautear Robbie Lawler em julho de 2016 – e já defendeu seu posto em três oportunidades com sucesso, sendo a última em uma apresentação dominante sobre Demian Maia. Justamente por isso, os rumores de que um cinturão interino possa vir a ser disponibilizado o tiraram do sério. E após externar sua indignação, o campeão aproveitou para garantir que declarará guerra ao Ultimate caso essa proposta realmente saia do papel. 

Ao que tudo indica, a intenção por trás de um cinturão interino seria uma tentativa de não travar a divisão dos meio-médios, pois o americano lesionou o ombro em seu combate contra Demian, no UFC 214, e deve passar pelo menos os próximos seis meses afastado do octógono. No entanto, em entrevista ao site ‘Bloody Elbow’, Woodley fez questão de ressaltar que, independentemente de sua contusão, não aceitará esse possível cenário de boca calada. 

“Se o UFC trouxer um cinturão provisório, é melhor estarem prontos para fazer guerra, porque eu serei o mais ativo e o mais vocal, se eles pensam que já falo agora. Quero dizer, lutei pelo título quatro vezes em um ano. Superei o trocador na trocação, Stephen Thompson não conseguiu parecer tão magnífico como fez contra todos e eu doutrinei o Demian Maia. Lutei quatro vezes em 12 meses e estava preparado para lutar cinco vezes em 18 meses, se pudesse lutar em novembro”, analisou o atual detentor do título. 

Além de garantir que não terá medo de bater de frente com o Ultimate caso ocorra a disponibilização do cinturão interino, Woodley discorreu sobre o fato de que nem sequer existem adversários gabaritados para enfrentá-lo no momento. Por isso, de acordo com sua opinião, o UFC deve casar lutas com os potenciais desafiante ao seu título e, somente aí, definir quem terá a oportunidade de subir ao octógono com ele. 

“Eu nem penso que a palavra interino deveria estar na boca do UFC, não só por causa do quão ativo fui – Conor McGregor não falou sobre a defesa de seu cinturão. Além disso, ainda não existe um concorrente claro. Não importa o que esteja acontecendo comigo, o cenário precisa ser arrastado um pouco mais de qualquer maneira. Você já falou sobre Kelvin descendo, tem o Masvidal, tem o ‘Wonderboy’ , Robbie Lawler, todos esses caras precisam lutar entre eles para ver quem é o candidato claro. Enquanto isso, estarei assistindo enquanto me recupero, e aí estarei pronto para derrotar o próximo”, concluiu. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Blog do Ohata
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Topo