MMA

Whittaker recusa treinar TUF e não liga para luta entre Bisping e GSP

Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Robert Whittaker disfere joelhada em Yoel Romero na luta principal do UFC 213 Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Ag. Fight

08/08/2017 08h00

 

Robert Whittaker atingiu o ponto mais alto de sua carreira em julho deste ano, ao vencer Yoel Romero e conquistar o cinturão interino da divisão dos médios (84 kg). A promessa do Ultimate era conceder ao vencedor deste confronto a chance de encarar Michael Bisping, atual campeão linear, mas tudo parece ter mudado.

Recentemente, Dana White voltou a garantir que Bisping terá sua vontade realizada e irá medir forças com o canadense Georges St-Pierre em 4 de novembro, em Nova York (EUA). Tal decisão poderia ter deixado Whittaker bastante irritado, mas não foi exatamente isso que aconteceu. Em conversa com a ‘ESPN’, o australiano se mostrou bastante resignado com a possibilidade de o Ultimate casar o duelo entre o inglês e o ex-campeão dos meio-médios (77 kg).

"A lesão não importa, para ser sincero. O Michael está insistindo com isso há quanto tempo? O UFC faz o que ele quiser. É assim que é. Georges não está nem nessa divisão. Não é alguém que está no top 10 furando fila. Não me incomoda. As pessoas vão fazer o que elas quiserem. Eu não posso ficar bravo se não for de acordo com meus planos, porque vamos encarar isso, o UFC é uma montanha-russa", afirmou o australiano.

Whittaker ainda revelou que o Ultimate chegou a oferecer para ele que treinasse a 26ª temporada do The Ultimate Fighter, que começará a ser transmitida no fim deste mês, juntamente com Michael Bisping. No entanto, por morar na Austrália e pela dificuldade de planejamento, e optou por negar a oferta.

"Eles me abordaram logo depois da minha luta, mas eu não tinha visto minhas crianças e minha família há semanas. Não é que eu moro duas horas dali. Eu moro perto de 24 horas de distância. Para mim, realisticamente, preciso fazer com que valha a pena", explicou Whittaker.

"Eu teria que fazer toda a minha recuperação nos EUA. Teria que trazer toda minha família para os EUA, tirar minhas crianças da escola. A oferta não era suficiente. Eu respondi com ofertas, não apenas financeiras, mas muitas outras condições e nós não chegamos a um acordo".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Na Grade do MMA
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Topo