Esporte

Luis 'KLB' descarta crise entre os pesados e promete renovação brasileira

Ag. Fight

07/09/2017 08h00

Se a categoria dos pesos-pesados já foi, sem dúvidas, a mais empolgante do Ultimate, o mesmo não se pode dizer nos dias atuais. Recheada de atletas veteranos, a divisão também sofreu baixas nos últimos tempos em função de flagrantes em exames antidoping - como os casos de Brock Lesnar, Júnior 'Cigano' e Marcos 'Pezão' - e com lesões de atletas - como Cain Velasquez. Contudo, para um brasileiro que pertence a essa categoria, o maior problema está na falta de renovação. Mas isso não quer dizer que a divisão não seja competitiva.

Retirado do ranking dos pesados depois de perder a sua última luta, Luis Henrique faz questão de deixar claro que discorda de todos que pensam que a divisão é fácil. De acordo com o brasileiro, a renovação na categoria está começando agora e os atletas mais velhos contam com a experiência a seu favor.

"O nível no UFC é muito alto. O problema no pesos-pesados é que a renovação está começando agora. Pelo menos, entre os brasileiros. Eu não acho a categoria fácil, acho uma categoria bem difícil. Não é porque tem atletas velhos que eles estão ruins. Eles são muito experientes. Imagina o Mark Hunt, por exemplo, o cara ja lutou tudo. K-1, lutou no Japão, várias lutas no UFC. É difícil para um cara que está chegando. Eu não sei a gana dele de ainda continuar lutando. A minha ainda é muita", declarou.

Membro da renomada academia American Top Team, 'KLB' viu companheiros de equipe - como Cigano, Pezão e Amanda Ribas - sendo flagrados em exames antidoping. E, na opinião do peso-pesado, os atletas encontraram problemas com suplementos contaminados.

"Fiz todo meu camp na American Top Team. Não tenho nada em comum com eles, mas a situação foi suplemento, temos que ter muito cuidado com isso. A suplementação, tem que ter cuidado. Até comprado e manipulado. Eu tenho meu patrocinador de suplementos, mas eu tive comprar porque acabou. E a gente fica com um pé atrás, mas não tem jeito. A gente precisa treinar com o suplemento. Mas fica o medo", explicou.

No próximo sábado (9), KLB subirá no octógono do UFC 215, evento que será realizado em Edmonton (Canadá), para encarar Arjan Bhullar - canadense que estará fazendo a sua primeira apresentação na organização. E o brasileiro garante que sua maior experiência, aliada a pressão da estreia em casa, podem fazer a diferença no combate.

"Acho que pode fazer diferença sim . Até porque ele é daqui do Canada, então ele deve sentir um pouco de pressão. Lutar em casa traz uma pressão psicológica maior", afirmou.

Lutador de MMA desde 2011, KLB foi campeão mundial de jiu-jitsu na faixa marrom. Aos 24 anos de idade, o brasileiro coleciona na carreira um cartel com 10 vitórias e três derrotas e uma luta sem resultado.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Esporte

Topo