Esporte

Wilson Reis pede mais respeito ao legado de Demetrius Johnson no UFC

Ag. Fight

08/09/2017 08h00

Dois atletas derrotados por Demetrius Johnson se enfrentarão no card do UFC 215, evento a ser realizado neste sábado (9), em Edmonton (Canadá). Tanto o brasileiro Wilson Reis como seu rival Henry Cejudo compõem a ampla lista de lutadores superados pelo campeão peso-mosca (57 kg) do UFC, que diante de Ray Borg tentará sua 11ª defesa de título seguida no octógono. E com tamanha superioridade apresentada diante de seus oponentes, DJ ganhou respeito até mesmo de suas ilustres vítimas.

Último desafiante ao cinturão dos moscas, Wilson demonstrou descontentamento com as diversas críticas e a falta de visibilidade de sua categoria entre o grande público. Afinal, apesar do domínio apresentado no octógono, Demetrious é o campeão que menos vende pay-per-view na atualidade, cenário que, de acordo com o atleta brasileiro, pode ser creditado pelo baixo número de nocautes apresentado pelo mais leves homens a competirem no MMA.

"É bom ter um cara dominante na categoria, você vê que todo mundo tentou e não conseguiu. Eu adorava assistir o Mike Tyson, naquela época dominante dele, por isso acho que os fãs deveriam prestigiar mais o Demetrius como campeão. Assim como a gente dava todo apoio ao Anderson Silva, em todas as defesas de cinturões dele", comentou o lutador em entrevista para a reportagem da Ag. Fight.

Em abril passado, o brasileiro desafiou o campeão Demetrius Johnson, em duelo em que acabou finalizado com uma chave de braço no terceiro assalto. Mas, apesar de ter sido dominado, Wilson parece confiante de que uma revanche possa ocorrer em breve caso conquiste uma boa vitória na edição 215 do UFC. Apesar desse desejo, é improvável que a próxima luta do mineiro seja contra o campeão, já que a organização procura novos desafios para DJ.

"O começo não foi fácil, eu fiquei triste com a derrota. Mas sei que foi uma oportunidade que eu conquistei com o meu suor e o meu treino. Eu cheguei uma vez e, com certeza, eu vou chegar de novo. Eu sou jovem e estou muito bem, me sinto cheio de energia e vontade, então eu não posso parar", afirmou otimista.

Para isso, Wilson terá que superar Cejudo, campeão olímpico de wrestling em Londres 2012. E, se o ditado "Estilos fazem luta" estiver certo nesse caso, sua vida não será nada fácil neste sábado. Isso porque, especialista em jiu-jitsu, Reis teria vantagem ao colocar o rival de costas  no chão. Mas e como isso seria possível?

"Com certeza, faz parte da minha estratégia. Grande parte da minha estratégia, na verdade, é de derrubar ele. Eu tenho um estilo de wrestling agressivo também, gosto de derrubar, gosto de o tempo todo buscar queda e tudo mais. Então, por ele ser campeão olímpico, não vai tirar essa parte da minha estratégia. Eu acredito muito bem na minha parte de derrubar, então eu vou confiar plenamente no wrestling e no meu jiu-jitsu contra ele", analisou, sempre otimista.

"Vou buscar a finalização e o nocaute o tempo todo. O estilo dele só vai me favorecer. Treinei muito para explorar o ataque nessa luta. Treinei para ganhar, e ganhar muito bem. Quero finalizar ou nocautear. Como eu falei, eu vou buscar o nocaute o tempo todo, e a finalização também", finalizou.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Esporte

Topo