Topo

MMA

Amanda Nunes desabafa e pede menos cobrança por parte dos fãs

Perry Nelson/USA TODAY Sports
Brasileira Amanda Nunes, à esquerda, venceu Valentina Shevchenko pelo UFC 215 Imagem: Perry Nelson/USA TODAY Sports

Ag. Fight

10/09/2017 08h00

Explosiva, forte e nocauteadora, Amanda Nunes possui um dos melhores primeiros rounds do MMA mundial. Talvez por isso, graças a demanda de energia para administrar tanta agressividade dentro do cage, a brasileira ganhou fama de que não é atleta para duelos longos. Estigma este que incomodou a campeã peso-galo (61 kg).

Em conversa com os jornalistas presentes no evento realizado no Canadá, Amanda afirmou que a luta contra Valentina, disputada ao longo dos cinco assaltos de cinco minutos, foi perfeita para provar a todos que ela é capaz de dosar a energia despendida durante uma luta.

"Mostrei que venho evoluindo como atleta. Todo mundo estava me perguntando: 'E os cinco rounds? No terceiro já cansou'. Fui questionada bastante com isso, estava ficando chateada. O atleta vai evoluindo, tem que esperar com paciência. Essa noite foi a noite para mim, para mostrar para o mundo, parar com essa história. Não é porque em uma luta atrás não chegou bem nos três , porque não pode chegar bem nos cinco agora? Os fãs têm que parar de pressionar o atleta dessa forma e deixar ele evoluir. Mas hoje acho que acabou tudo isso", desabafou.

Durante a luta, porém, as lutadoras foram vaiadas devido à falta de ação em determinados momentos dos rounds. Mas,por se trata de uma disputa de cinturão contra uma atleta deste nível, Amanda fez questão de minimizar os questionamento da plateia e se mostrar satisfeita não apenas com o resultado, mas com seu desempenho no octógono.

"É normal, sei que fãs querem nocaute, mas essa luta não foi para a torcida. Eu queria fazer para eles, mas essa noite a luta foi para mim, ir por cinco rounds e provar que sou a melhor. Estou aqui para ficar, por uma razão, essa noite foi para mim. Queria ir por cinco rounds. fiz tudo o que deveria fazer", analisou, antes de reafirmar o desejo de encerrar o clima de rivalidade com a campeã mundial de muay thai.

"Não tenho nada pessoal contra Valentina. Mas acho que ela muda muito sua personalidade. Uma hora ela fala uma coisa e depois ela muda e fala outra coisa em entrevista. Para essa luta ela foi um pouco humilde, aí não entendi nada . A única coisa é que n;ao quero ouvir ela, quero calar ela. Não odeio ela, é um trabalho, mas não quero conversar com ela".

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!