MMA

Donald Cerrone revela por que não estuda rivais antes das lutas

Steve Marcus/Getty Images/AFP
Donald Cerrone enfrentará o inglês Darren Till no UFC da Polônia Imagem: Steve Marcus/Getty Images/AFP

Ag. Fight

11/09/2017 08h00

Depois do cancelamento da luta principal do UFC Polônia, que vai ocorrer no próximo dia 21 de outubro em Gdansk (Polônia), entre Thiago Marreta e Michal Martela, o confronto entre o americano Donald Cerrone e o inglês Darren Till foi confirmado como a grande estrela deste card. Faltando pouco mais de um mês do combate, o 'Cowboy' declarou que não estuda os seus adversários, e que não será diante do jovem de 24 anos que ele adotará esta prática.

Sem perder o bom-humor, o atleta explicou que não teve intenções de ofender o inglês ao dizer que não o conhecia, mas que apenas não se dá ao trabalho de pesquisar sobre quem vai enfrentar. Afinal, de acordo com sua lógica de treinamento, essa tarefa cabe exclusivamente aos técnicos que o acompanham durante a preparação para o combate. A ele resta apenas melhorar e ficar pronto para a batalha.

"Claro que não . Isso é trabalho do Greg e do Bradon , eles são quem assistem as fitas. Mas todo mundo sabe que eu não vejo os filmes, não quis desrespeitá-lo. Tenho certeza que ele é destemido. Ele diz ser um dos melhores trocadores da Europa, então eu imagino que ele vai vir com tudo. É a chance da vida dele. Por que ele não faria isso? Essa luta vai ser inacreditável", comentou o americano em entrevista para o site 'MMA Fighting', durante o UFC 215.

Seguindo esta lógica de raciocínio, o lutador, que vem de duas seguidas derrotas no UFC, parece preferir não ter informações detalhadas sobre como seus oponentes terminam as lutas. Desta forma, apesar de talvez não desenvolver a melhor a defesa para os ataques que possam vir do rival, ele não cria excesso de expectativa sobre as habilidades do oponente consegue treinar o melhor de suas habilidades.

"Eu não estudo meus oponentes, mas é por isso que Bradon e o Jackson ganham dinheiro. Eles estudam e precisam montar todo o nosso treinamento baseado nas instruções da luta. Tudo que eu vou fazer é baseado em como eu devo conduzir a luta, ou como ele vai conduzir. É claro que eu treino para o meu adversário, eu não vou entrar no octógono cego, sem saber o que vai acontecer, tudo é planejado. Eu não estudo, porque eu não ligo. Por que eu vou querer vê-lo nocauteando alguém e pensar: 'Caramba, talvez ele faça isso comigo'? Eu simplesmente não coloco isso na minha mente. É melhor ele pensar o que o Cowboy vai fazer", explicou o americano.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Ag. Fight
Ag. Fight
EFE
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo