Topo

MMA

Donald Cerrone revela por que não estuda rivais antes das lutas

Steve Marcus/Getty Images/AFP
Donald Cerrone enfrentará o inglês Darren Till no UFC da Polônia Imagem: Steve Marcus/Getty Images/AFP

Ag. Fight

11/09/2017 08h00

Depois do cancelamento da luta principal do UFC Polônia, que vai ocorrer no próximo dia 21 de outubro em Gdansk (Polônia), entre Thiago Marreta e Michal Martela, o confronto entre o americano Donald Cerrone e o inglês Darren Till foi confirmado como a grande estrela deste card. Faltando pouco mais de um mês do combate, o 'Cowboy' declarou que não estuda os seus adversários, e que não será diante do jovem de 24 anos que ele adotará esta prática.

Sem perder o bom-humor, o atleta explicou que não teve intenções de ofender o inglês ao dizer que não o conhecia, mas que apenas não se dá ao trabalho de pesquisar sobre quem vai enfrentar. Afinal, de acordo com sua lógica de treinamento, essa tarefa cabe exclusivamente aos técnicos que o acompanham durante a preparação para o combate. A ele resta apenas melhorar e ficar pronto para a batalha.

"Claro que não . Isso é trabalho do Greg e do Bradon , eles são quem assistem as fitas. Mas todo mundo sabe que eu não vejo os filmes, não quis desrespeitá-lo. Tenho certeza que ele é destemido. Ele diz ser um dos melhores trocadores da Europa, então eu imagino que ele vai vir com tudo. É a chance da vida dele. Por que ele não faria isso? Essa luta vai ser inacreditável", comentou o americano em entrevista para o site 'MMA Fighting', durante o UFC 215.

Seguindo esta lógica de raciocínio, o lutador, que vem de duas seguidas derrotas no UFC, parece preferir não ter informações detalhadas sobre como seus oponentes terminam as lutas. Desta forma, apesar de talvez não desenvolver a melhor a defesa para os ataques que possam vir do rival, ele não cria excesso de expectativa sobre as habilidades do oponente consegue treinar o melhor de suas habilidades.

"Eu não estudo meus oponentes, mas é por isso que Bradon e o Jackson ganham dinheiro. Eles estudam e precisam montar todo o nosso treinamento baseado nas instruções da luta. Tudo que eu vou fazer é baseado em como eu devo conduzir a luta, ou como ele vai conduzir. É claro que eu treino para o meu adversário, eu não vou entrar no octógono cego, sem saber o que vai acontecer, tudo é planejado. Eu não estudo, porque eu não ligo. Por que eu vou querer vê-lo nocauteando alguém e pensar: 'Caramba, talvez ele faça isso comigo'? Eu simplesmente não coloco isso na minha mente. É melhor ele pensar o que o Cowboy vai fazer", explicou o americano.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!