MMA

Ferguson deixa rivalidades de lado e quer usar UFC para levantar Las Vegas

Alex Trautwig/Getty Images
Imagem: Alex Trautwig/Getty Images

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

06/10/2017 08h00

 

Dono de uma sequência de nove vitórias no octógono do UFC, Tony Ferguson disputará o cinturão interino dos pesos-leves (70 kg) neste sábado (7), em Las Vegas (EUA), quando além de encarar Kevin Lee terá a missão de liderar o primeiro grande evento na cidade após o tiroteio em massa que vitimou 58 pessoas no último domingo. E com isso em mente, o atleta garante que qualquer rivalidade ou polêmica fica em segundo plano diante da tragédia.

Veterano no UFC, o atleta vive a melhor fase de sua carreira tanto dentro como fora do octógono. Cada vez mais famoso, Ferguson adotou o estilo personagem e passou a encarar polêmicas e desafios com seus rivais, como manda o figurino do entretenimento esportivo que gira em torno do evento. Cenário que foi minimizado com o clima de luto pelo qual passa acidade de Las Vegas.

"Estamos aqui em Las Vegas, estamos competindo no UFC 216. É impressionante que esse evento ainda vai acontecer. Com as coisas que aconteceram nessa semana, tive a oportunidade de ir na igreja com a minha família. Nós iriamos para o festival, mas meu cunhado falou que ouviu uns tiros. Então, a luta não importa! Ainda tem essa animosidade no mundo. Realmente não importa!", disse durante conversa com os jornalistas durante o media day realizado na última quarta.

Apesar do clima de luto, o UFC não cogitou, ao menos oficialmente, a possibilidade de cancelar ou adiar o show de número 216. Aos atletas restou manter o foco na disputa para, de alguma forma, deixar de lado a tragédia e promover um grande show para os milhares de fãs que devem comparecer ao local.

"A decisão do que aconteceria não estava ao meu alcance, mas eu teria que aceitar o que quer que fosse decidido. Eu tenho que ser profissional, preciso representar minha família, minha equipe e minha religião. Estou orando todos os dias. Preciso ser profissional e não perder o foco, mas é muito difícil, é muito difícil me manter focado", garantiu Ferguson, antes de analisar o papel do evento para levantar o ânimo da cidade.

"Eu não acho que isso é uma distração, é uma tragédia. É lamentável isso ter acontecido. As pessoas precisam ser unir e se tornar um só. Esse evento vai servir para as pessoas se motivarem e para levantar o astral, e é isso que eu quero. Muitas pessoas perderam as suas vidas, muitas pessoas se feriram para salvar outras. Las Vegas vai responder da maneira que a sociedade responder, por isso é importante nos unirmos. Não existe cor de pele, somos todos azul e vermelho".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Na Grade do MMA
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo