Topo

MMA

Thales Leites promete buscar finalização no UFC 216: "Preparando armadilha"

Josh Hedges/Zuffa LLC
Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC

Ag. Fight

06/10/2017 10h00

 

Das 27 vitórias que Thales Leites coleciona na carreira, 15 delas foram conquistadas através de finalizações. E, é no seu afiado jiu-jistu que o peso-médio (84 kg) aposta para sair com a vitória no UFC 216, evento que será realizado no próximo sábado (7) em Las Vegas (EUA). Escalado para encarar Brad Tavares, o brasileiro garantiu que o objetivo é anotar mais uma vitória com os três tapinhas do seu adversário.

Durante uma conversa com a reportagem da Ag. Fight, Thales analisou o jogo do oponente e apontou que Tavares demonstra um grande volume de golpes em suas lutas. Por isso, o brasileiro garantiu que tentará controlar as ações do combate até encaixar uma finalização no americano.

"A minha preparação foi muito boa, tudo aconteceu dentro do planejado. Estudei muito o Brad Tavares. Ele é um cara que tem um grande volume de golpes e que luta há bastante tempo. Experiência não é algo que falta para ele. O meu plano de jogo é entrar lá para fazer o meu. Frustrar, vou jogar inteligente, frustrando ele aos poucos e preparando uma armadilha para finalizar ele. Vou buscar sair vitorioso com uma finalização nessa luta", afirmou.

Atualmente ocupando a 13ª posição de uma categoria onde o campeão, Michael Bisping, defendeu apenas uma vez o seu título, Thales surpreendeu e não criticou o inglês como a maioria dos companheiros de divisão. Pelo contrário. O brasileiro fez questão de enaltecer o caminho do britânico até a conquista do cinturão.

"Eu não sei porque as pessoas acham isso. Eu não vi o Bisping chegar lá e pedir o cinturão e entregarem a ele de mão beijada. Ele foi lá, contra tudo e contra todos, remando contra a maré. É um cara que sempre esteve ali, mas quando chegava perto de disputar o cinturão acabava perdendo. E, quando menos esperavam que ele fosse lutar pelo cinturão, pegou uma luta em cima da hora contra o Rockhold, então campeão e amplo favorito, e venceu quando ninguém esperava. As pessoas falam, não tem como agradar todo mundo", declarou.

Ao ser questionado sobre quem vencerá o duelo entre Bisping e Georges St-Pierre pelo título da divisão, Thales se esquivou e apontou que não tem um palpite definindo. Na análise do brasileiro, se por um lado GSP é mais técnico que o britânico, por outro o campeão estará lutando em sua divisão de origem.

"É complicado dizer porque são categorias diferentes. O Bisping se manteve treinando e lutando por mais tempo. Então, é difícil dizer. Analisando a parte técnica, em termos de qualidade, eu acho que o St-Pierre é mais completo. Mas, essa é a categoria do Bisping, onde ele luta faz bastante tempo. E ele não está parado como o GSP. Tem tudo para ser uma grande luta. Não tenho um palpite, quero ver uma boa luta e que vença o melhor".

Thales chegou a disputar o cinturão dos médios do UFC em 2009, quando foi superado por Anderson Silva na decisão dos juízes. Aos 36 anos de idade, o brasileiro coleciona na carreira um cartel com 27 vitórias e sete derrotas.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!