Topo

MMA

Após polêmicas, Colby perde a paciência e xinga ex-técnico de sua equipe

Leandro Bernardes/Framephoto
Colby Covington provoca torcida após vencer Damian Maia Imagem: Leandro Bernardes/Framephoto

Ag. Fight

01/11/2017 06h00

Colby Covington é mesmo um lutador peculiar e disposto a polêmicas. Depois de viajar ao Brasil e, logo após vencer Demian Maia, xingar os presentes no Ginásio Ibirapuera, o americano agora mira sua metralhadora para Ricardo Libório, ex-treinador e um dos fundadores da America Top Team.

Em recente entrevista para o site Bloody Elbow, Colby criticou a postura do veterano brasileiro, que condenou publicamente seu comportamento e aproveitou para anunciar sua saída da ATT. De acordo com o aleta de 29 anos, Libório estaria apenas usando seu nome e visibilidade para tirar vantagem.

"Ricardo Libório é uma piada. Esse cara saiu da ATT faz dois, três anos. Aquele cara é uma completa piada tentando usar meu nome e minha fama, e essa coisa com o Brasil para parecer o cara bom da ATT. Ele saiu faz um tempo. Ele estava usando o Dan Lambert, dono da ATT. Ele estava usando o Dan. Recebia seus salários por dois ou três anos sem nem aparecer para trabalhar. É um idiota, um m...., está agindo como um pedaço de m*** tentando usar meu nome para aparecer", narrou em tom elevado, como acostumou seus fãs a vê-lo em seus mais recentes discursos.

Parecendo não estar disposto a dar passos para trás, resta ao americano seguir atacando, nem que para isso precise entrar em pé de guerra com sua própria equipe. Afinal, a ATT é composta por diversos lutadores e treinadores brasileiros, o que pode tornar o convívio cada vez mais difícil.

"Você não precisa de um grupo grande. Pessoas estão sempre tentando te usar e fazer coisas ruins. Temos diferentes pessoas de diferentes países, então pessoas escolherão lados. É o que é. Você verá pessoas escolhendo lados sobre meu incidente no Brasil", declarou, dando de ombros para as inimizades que possa ter criado no time.

A passagem de Covington pelo Brasil foi tumultuada desde o início. Em entrevistas antes da luta, disse que estava odiando o país. As provocações continuaram na pesagem e durante o evento realizado no ginásio do Ibirapuera. Na entrevista ainda no octógono, o norte-americano chamou o Brasil de “chiqueiro”, o que provocou uma reação na torcida, que arremessou objetos em direção ao lutador.

Para completar, em uma publicação feita através do seu Twitter no dia seguinte, o americano abusou da ironia em um pedido de desculpas ‘fake’ e voltou a se referir aos torcedores que estiveram no UFC São Paulo como “animais imundos". O comportamento do lutador vai gerar uma análise do UFC e causou mal-estar até em sua academia.  

Dentro dos que manifestaram publicamente repudio à sua postura, Amanda Nunes e Antônio 'Pezão', veteranos da academia, não deixaram barato. Com xingamentos, eles deixaram claro que, ao que parece, essa história não acaba tão cedo. Connan Silveira, brasileiro e head coach da ATT, revelou inclusive que uma reunião será feita para avaliar o caso.