MMA

Conor McGregor revela exigência para voltar a lutar no UFC

Jared Wickerham/Getty Images
Conor McGregor desfere cotovelada em Max Holloway Imagem: Jared Wickerham/Getty Images

Ag. Fight

02/11/2017 10h52

 

Depois de estabelecer o recorde de luta mais vendida da história do MMA em 2016, Conor McGregor se aventurou no mundo do boxe e, diante de Floyd Mayweather, protagonizou uma superluta milionária em agosto deste ano. Desde então, dono de alto poder de barganha, o irlandês negocia seu retorno ao octógono. O que, de acordo com ele próprio, só deve acontecer caso uma exigência seja atingida.

Grande nome das artes marciais mistas, Conor garantiu que só entra no octógono caso faça parte da organização do evento. Em outras palavras, ele quer, assim como fez no duelo contra Mayweather, atuar como promotor do show e, assim, receber proporcionalmente de acordo com o sucesso de vendas do duelo entre os fãs.

"Eu fui promotor na luta com o Mayweather, e estamos em negociações. Eu não vou pisar no octógono de novo a menos que eu seja sócio de tudo o que aconteça", afirmou durante uma sessão de perguntas e respostas realizada durante o lançamento do documentário 'Notorious', realizado em Dublin na última quarta-feira (1º).

Ao que tudo indica, McGregor negocia seu retorno ao octógono ainda para dezembro deste ano, quando poderia enfrentar Tony Ferguson ou até mesmo Nate Diaz, em duelos que marcariam sua primeira defesa do cinturão dos pesos-leves (70 kg) do UFC.

"Vendo isso, está me fazendo entender se se eu realmente quero voltar a lutar, e estamos negociando. Todos estão tentando fazer algum dinheiro. É sobre o jogo da luta, é a conversa, é que estamos fazendo. Eles estão tentando me fazer lutar no final do ano para fazer a empresa fazer dinheiro para que possam resgatar a dívida de 4,2 bilhões de dólares", afirmou, se referindo ao valor da venda do UFC realizada em julho de 2016.

De fato, sem o irlandês em ação, o UFC, que teve sua melhor marca na temporada 2016, não passou da marca de um milhão de pay-per-views vendidos no ano. E,por isso, 'The Notorius' sabe que sua presença se torna ainda mais importante - e cara.

"Estou sentado aqui assistindo o tipo de guerras que eu enfrentei, indo e voltando, e vendo como cheguei aqui. Estou como, preciso tirar meu tempo aqui. Não estou com pressa. Estou em uma posição excelente. Estou na posição do dinheiro agora", narrou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Ag. Fight
Redação
Topo