Topo

Esporte

St-Pierre revela que equipe era contra sua luta com Bisping no UFC 217

Ag. Fight

Ag. Fight

22/11/2017 13h50

Antes de enfrentar Michael Bisping pelo cinturão dos médios (84 kg) no UFC 217, que aconteceu no dia 4 de novembro, Georges St-Pierre estava há quatro anos sem lutar. Por isso, muitos acharam que o seu retorno ao octógono em uma categoria diferente da que estava acostumado a competir, a dos meio-médios (77 kg), seria um risco para o atleta, especialmente contra o então campeão.

Por conta da dificuldade que o combate apresentava, alguns membros da equipe do canadense tentaram fazê-lo mudar de ideia - o que, obviamente, não funcionou. Mas, ao finalizar o inglês no terceiro round, GSP mostrou que assumir esse risco foi uma decisão acertada. Em entrevista ao site 'MMA Junkie', o atual campeão dos médios revelou que apostou em seus instintos para aceitar fazer a luta principal da edição 217 do show.

"O que eu fiz nunca será tirado de mim. É algo que vou manter pelo resto da minha vida. Talvez um dia eu passe por algo negativo e vou poder olhar para esse momento e vou sorrir. Isso que as pessoas não entendem. Eu faço isso para viver um momento. Eu me sinto privilegiado de viver esse momento. Foi um risco muito grande, mas quanto maior o risco, maior a conquista. Mesmo que algumas pessoas na minha equipe tenham me dito que era uma péssima ideia, eu confiei em mim mesmo e sempre acreditei que eu seria capaz de fazer. Eu consegui e estou muito orgulhoso", falou GSP sobre a sua mais recente conquista.

Como campeão linear da sua nova divisão, o canadense é esperado para unificar o cinturão da categoria dos médios em um confronto com Robert Whittaker, que possui o título interino. O retorno de St-Pierre ao octógono pode acontecer no UFC 221, caso o canadense aceite a oferta da maior organização de MMA do mundo.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte