Topo

Esporte

Comentarista do UFC critica escalação de Bisping para lutar em Xangai

Ag. Fight

27/11/2017 11h46

Michael Bisping foi finalizado por Georges St-Pierre no UFC 217, que aconteceu no dia 4 de novembro, e se colocou à disposição da maior organização de MMA do mundo para substituir Anderson Silva no evento marcado para Xangai (China) apenas três semanas depois. O Ultimate aceitou a oferta do inglês e o escalou para a luta principal desse sábado (25), o que resultou no ex-campeão dos médios (84 kg) nocauteado ainda no primeiro round. Para o comentarista oficial da organização, Joe Rogan, colocar 'The Count' no show "não foi uma decisão inteligente".

Em entrevista ao podcast 'JRE MMA Show', Rogan afirmou que a luta contra 'GSP', em Nova York, foi brutal. Por isso, nenhum atleta deveria ser submetido a outra atuação poucas semanas depois, especialmente contra Kelvim Gastelum, que está em ascensão na categoria.

"Eu não acho que você deve ser autorizado a lutar três semanas depois que você tem uma luta brutal como aconteceu entre Michael Bisping e GSP. Ele ficou inconsciente e então três semanas depois ele faz um retorno perigoso contra Kelvin Gastelum? Kelvin é uma fera. Ele tem um boxe traiçoeiro e é isso que ele mostrou nessa luta. Ele o atingiu com um jab limpo e uma mão direita na sequência. Esse garoto é fogo. Ele está em outro nível", argumentou o comentarista do UFC.

A ideia de subir novamente ao octógono partiu do próprio Bisping, que falou com Dana White, presidente do UFC, e sugeriu substituir Anderson Silva, flagrado novamente no doping. Rogan explicou que o ex-campeão dos médios agirá da mesma maneira se tiver uma nova oportunidade e, por isso, cabe ao UFC proteger o atleta de si mesmo.

"Você precisa proteger o lutador dele mesmo. Você não pode deixar um cara lutar três semanas depois de uma luta brutal como aquela. Não faz o menor sentido. Eu não acho que seja uma decisão inteligente. Eu entendo que o UFC precisou de um substituto para Anderson Silva, que testou positivo para esteroides, e que eles não queriam perder a luta principal de Xangai. Acabou se tornando uma luta ainda maior, quando você escala o ex-campeão dos médios logo depois da sua derrota", opinou Rogan.

"Eu sei que o Bisping queria isso e sei que ele provavelmente faria isso de novo. Se você pedir para o Bisping lutar em algumas semanas, ele provavelmente vai aceitar de novo. Alguém falou sobre ele lutar na Inglaterra, em março. Não é tão maluco, mas ainda é maluco. Estamos praticamente em dezembro".

Com o resultado, o inglês acumulou duas derrotas consecutivas em suas últimas lutas. Aos 38 anos, o ex-campeão dos médios revelou planos para sua aposentadoria e já garantiu que gostaria de subir pela última vez no octógono no evento que acontecerá em Londres, em março. Ainda não há qualquer confirmação sobre esse card.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte