Topo

MMA

"Sertanejo" assume culpa por falha na balança e pede nova chance ao UFC

Rigel Salazar/Ag. Fight
Felipe Sertanejo Imagem: Rigel Salazar/Ag. Fight

Laís Rechenioti, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

28/11/2017 06h00

 

Escalado para enfrentar Luke Sanders no UFC Pittsburgh, em setembro passado, o brasileiro Felipe "Sertanejo" foi retirado do card dias antes do evento após um conturbado processo de perda de peso que falhou e resultou na sua retirada compulsória da divisão dos galos (61 kg). Um mês depois, já como pena (66 kg), o atleta não rendeu o esperado e acabou superado por Josh Emmett em atuação em que a diferença de tamanho a favor do rival ficou clara desde as primeiras movimentações.

Desta forma, o atleta da Chute Boxe não teve dúvidas em enviar um pedido ao UFC para que ele pudesse retornar à divisão dos galos. E, para isso, é preciso que o evento entenda que sua saúde não estará em risco caso ele continue a cortar peso para bater os 61 kg da divisão já que, afinal, tudo não passou de um erro do próprio Sertanejo.

"Foi um erro pessoal meu. Eu não segui a dieta que eu sempre segui, quis bater o peso antes da hora. Quis chegar nos EUA já com o peso bem próximo, tentei chegar com 65 ou 66 kg. E fiz um corte de sal muito antes da hora e fiz uma hiper-hidratação muito cedo, muito tempo antes da luta. Acabou soltando todo o sal do meu corpo e acabou faltando sal e magnésio no meu corpo. Foi quando comecei a me sentir mal e o UFC optou por eu não lutar, por causa do estado que eu fiquei. Foi um erro pessoal, não foi um erro dos médicos, nem nada. Foi um erro meu, que eu espero não cometer mais. Na próxima vez, vou seguir mais certinho", disse em conversa com a reportagem da Ag. Fight.

Na sequência, logo após retornar ao Brasil, Felipe aceitou o chamado do UFC para se apresentar em um evento na polônia na divisão de cima. Ali, diante de um rival mais pesado, o especialista em muay thai sentiu que a diferença de força exigiria mudanças em seu físico caso ele siga atuando como peso-pena.

"Quando eu passei mal, lá nos Estados Unidos, eu passei mal com 64 kg. Na hora que eu entrei na banheira já comecei a sentir dormência no braço, por conta de eu ter cortado esse sal muito antes da hora. E não deveria ter cortado. Cortei por burrice minha. Não deu tempo de eu subir de peso e descer de novo, porque a gente não consegue lutar com o nosso peso. Tanto que no dia da luta, a categoria era de 66 kg, e eu estava com 69 kg. Eu desidratei muito pouco. Por isso eu senti tanto a força, porque não deu tempo de subir, foi muito em cima da hora", relatou.

A ideia, como esperado, é pedir uma nova chance à organização para que ele possa voltar a se apresentar na divisão mais leve. Caso não haja tal possibilidade, uma nova dieta deve ser implementada visando o aumento de massa muscular e ganho de força e explosão.

"Mandei um e-mail para o Sean Shelby explicando o que aconteceu, explicando que foi um erro meu. Já lutei nos galos e consegui bater o peso tranquilo, tranquilo na medida do possível, porque a gente sempre sofre um pouquinho. O meu peso natural me favorece para lutar no 61 kg, não tem como eu lutar no 66 kg. Se eu fosse lutar no 66 kg, teria que fazer um trabalho para subir de peso e depois descer, para no dia da luta eu estar forte igual aos meus adversários. E eu espero que eles entendam isso".

No entanto, enquanto luta para se manter em sua categoria de peso, Sertanejo também precisa se preocupar em voltar a vencer. Vindo de duas derrotas seguidas na organização, o atleta de 29 anos soma cinco vitórias, cinco derrotas e um empate no octógono mais famoso do mundo. Retrospecto que não parece incomodá-lo.

"Não ligo muito para isso não. O que tiver que ser, vai ser. Tenho a minha academia, tenho coisas paralelas à luta e não fico me prendendo à questão de corte. Porque eu não acho que isso seja um bicho de sete cabeças. Estou treinando como sempre treinei e se o UFC achar que eu tenho que continuar, ótimo, se não, bola para frente também. A gente só está esperando o aval do UFC para saber se eu posso descer de categoria, e eu acredito que eles não vão me cortar. Até porque houve um corte recentemente e eu não estava na lista. Então, eu acho que vou ter mais uma oportunidade e se eu tiver, vou treinar como sempre treinei e vou tentar reverter isso", finalizou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!