Esporte

Glover Teixeira garante não se abalar com derrotas recentes por nocaute

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

14/12/2017 12h04

Após mais de 14 anos sem sofrer um nocaute, Glover Teixeira amargou duas derrotas dessa forma em um período de menos de um ano. Primeiro, o meio-pesado (93 kg) foi superado por Anthony Johnson e, alguns meses depois, por Alexander Gustafsson. No entanto, quem pensa quem esses resultados afetaram o psicológico do brasileiro está enganado.

Durante uma conversa com a reportagem da Ag. Fight, Glover deixou claro que não se abalou com as derrotas e com o momento delicado na carreira. De acordo com o brasileiro, sua filosofia consiste em não se empolgar tanto quando vence e, ao mesmo tempo, não se deixar levar pela tristeza da derrota.

"Isso acontece com qualquer lutador. Acho que o importante é voltar, como eu digo, temos que estar sempre ajustando o nosso jogo e melhorando. Isso não me abala. Foi tranquilo, bola frente, a gente fica triste, mas eu não sou esse cara que guarda emoção. Eu não me empolgo muito na vitória e também não fico tão triste na derrota. Sou um cara feliz e que faz isso porque ama. Não luto por dinheiro, faço isso pelo amor ao esporte", declarou.

Para tentar espantar a má fase - foram duas derrotas nas últimas três lutas - Glover subirá no octógono do UFC On FOX 26, evento marcado para esse sábado (16), em Winnipeg (Canadá), para encarar Misha Cirkunov. E, diante de um atleta que possui simplesmente a metade da quantidade de lutas em seu cartel, o brasileiro acredita que a sua experiência pode fazer a diferença no combate.

"Pode sim, experiência nós vamos adquirindo a cada luta. Você sair com uma vitória ou um derrota, você saber lidar com o momento de uma vitória ou de uma derrota. Ajustar o seu jogo, saber onde você errou. A experiência com certeza faz a diferença", apontou, antes de analisar o adversário.

"Eu vejo que ele é um cara bem completo, tem a mão boa, tem um bom jiu-jitsu, mas eu me vejo melhor em tudo. Me vejo melhor na trocação, me vejo melhor no chão e acho que um wrestling melhor. Acho que vai ser uma luta muito boa para mim, mas tenho que estar atento porque ele tem boas finalizações. Estou bem treinado e preparado", afirmou.

Lutador do UFC desde 2012, Glover atualmente ocupa a 3ª posição no ranking dos meio-pesados. Aos 38 anos de idade, o brasileiro coleciona na carreira um cartel com 26 vitórias e seis derrotas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo