Topo

Esporte

Holly Holm usa vitória contra Ronda para se inspirar diante de Cris 'Cyborg'

Ag. Fight

22/12/2017 12h47

O UFC 219, marcado para o dia 30 de dezembro, em Las Vegas (EUA), receberá Cris 'Cyborg' na sua primeira defesa do cinturão da divisão peso-pena (66 kg) feminino contra Holly Holm. Mais uma vez cotada como zebra em uma disputa de título, a americana reconheceu que o seu próximo confronto possui similaridades com a sua luta contra Ronda Rousey, quando conquistou o cinturão do peso-galo (61 kg) feminino diante da rival até então imbatível.

Em conversa pelo telefone com jornalistas nessa quinta-feira (21), Holm explicou que o cenário que antecede a sua luta contra a brasileira é bem parecido com o que viveu antes de enfrentar a então invicta Ronda Rousey, adversária que conseguiu nocautear no segundo round e quebrar a banca. Por isso, a americana garantiu que a incerteza dos fãs em relação às suas performances se dá pela dúvida se conseguiria repetir esse feito contra uma adversária ainda mais dura.

"Acho que existem similaridades com os sentimentos daquela vez. Sei que as pessoas têm um pouco de dúvida em relação a mim. Mas acho que porque eu já fiz isso mais de uma vez, no boxe e contra a Ronda, sendo a zebra e conseguindo, acho que as pessoas devem pensar: 'Tudo bem, Holly tem capacidade de fazer algumas coisas'. Então, eu acho que eles têm uma certa curiosidade a meu respeito. Não pensam necessariamente que não consigo, é mais uma dúvida se eu conseguiria fazer de novo", comentou a lutadora.

Cyborg é uma adversária que nunca lutou os cinco rounds previstos, encerrando seus combates sempre antes do tempo regulamentar. Apesar desta marca, a americana tem certeza que a atual campeã treina duro para viver essa situação quando ela chegar. Por isso, Holm aposta que levar a luta para o quinto assalto não seja a melhor estratégia para conquistar o cinturão, mas sim a sua agilidade com os pés.

"Me sinto mais forte com os exercícios de força. Tentei manter exercícios de explosão de força. Não queria conseguir mais músculos, porque é difícil de lidar com isso na hora da luta. Músculos precisam de oxigênio, então quanto mais músculos você tiver, é mais difícil de sustentar. Ainda quero ter a leveza nos meus pés, quero ser rápida. Sei que muitas pessoas disseram: 'Você tem que levá-la para os últimos rounds'. Eu sei que ela não tem o costume de disputar os últimos rounds, isso é um fato", analisou a americana.

"Mas sei também que ela treina muito duro para todas as situações. Espero que ela seja agressiva e me procure durante os 25 minutos. Não vou sentar aqui e pensar: 'Se eu sobreviver aos dois primeiros rounds, vou conseguir'. Estou pronta para cinco rounds de uma luta muito dura".

Mesmo quando começou no MMA, em 2011, Holm não abandonou sua carreira vitoriosa no boxe. A lutadora é a única que conseguiu obter títulos no cage e no ringue ao mesmo tempo. Caso derrote a atual campeã, a americana conquistará uma nova marca: ser a única atleta que já possuiu títulos de diferentes divisões no boxe e no MMA.

"Seria incrível. Sempre disse que queria fazer algo que ninguém nunca conseguiu. E uma das maiores coisas que eu consegui vindo para o MMA do boxe foi conseguir títulos mundiais do MMA e do boxe. Porque nenhum homem ou mulher fez isso ainda. Então aqui estamos nós e eu pude fazer isso. Aqui estou eu contra outra adversária. Ter a chance de conquistar múltiplos títulos no MMA depois do boxe seria maravilhoso. Ninguém fez isso ainda, então é um sonho meu fazer isso", garantiu a ex-pugilista.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte