Topo

MMA

Comentarista do UFC critica postura de lutador que xingou o Brasil

Leandro Bernardes/Framephoto
Colby Covington provoca torcida após vencer Damian Maia Imagem: Leandro Bernardes/Framephoto

Ag. Fight

25/12/2017 09h00

Atualmente um dos comentaristas do Ultimate, Kenny Florian se aposentou do MMA em 2011. E, aparentemente, algumas coisas mudaram desde a época em que ele era lutador ativo. O americano garantiu que não está satisfeito com a maneira com que os atletas tentam se promover nos dias de hoje. Um caso claro para o ex-desafiante do UFC é o do falastrão Colby Covington, que tem tentado chegar ao topo insultando todos ao seu redor.

Durante sua breve passagem pelo Brasil, para disputar o UFC São Paulo em outubro passado, Covington chegou a se referir aos brasileiros como "animais imundos". O peso meio-médio (77 kg) também já disparou desafios polêmicos ao campeão da categoria, Tyron Woodley. Em entrevista ao programa 'Submission Radio', Florian revelou que não lhe agrada o caminho que o MMA está se dirigindo com todo esse 'trash talk'. O comentarista do Ultimate garantiu que todo o processo de desafiar outros lutadores poderia ser mais respeitoso.

"Acho que às vezes as pessoas precisam olhar para elas mesmas. E se eu tivesse a oportunidade de ser um espelho para Colby Covington, então vou fazer o meu melhor nisso. Todos têm uma abordagem diferente e todo mundo vai viver a sua vida da maneira que achar melhor, e tudo bem. Mas acho que quando você faz uma espécie de bullying e é desrespeitoso, não gosto disso. Simplesmente não gosto. Acho que isso envenena o esporte, de alguma maneira. E Colby é um desses caras que não mostra respeito pelas pessoas. As pessoas já pensam de uma maneira em relação aos lutadores, acho que isso não ajuda nessa percepção, se podemos colocar assim", opinou o ex-lutador.

"Respeito o marketing da coisa toda. Acho que você pode ser confiante e você pode desafiar os caras, você pode falar algumas coisas. Mas precisa de respeito. Quando você começa a insultar, a fazer comentários homofóbicos, a fazer referências racistas, a ofender países e grupos de pessoas é demais. Tem muita coisa acontecendo com o mundo. Precisamos partir para algo mais respeitoso. Mas esse sou eu e é assim que eu penso. Acho que isso incomoda muitos lutadores, o jogo mudou desde a minha época. E agora eu pareço um velho falando, mas eu sou. Precisam encontrar um ponto de equilíbrio".

O americano foi atleta do UFC entre 2005 e 2011, quando pendurou as suas luvas. Como profissional de MMA, Florian teve 14 vitórias, seis derrotas e  chegou a disputar o título dos penas (66 kg) e dos leves (70 kg) pela maior organização de artes marciais mistas do mundo.