Topo

Esporte

Treinador de GSP revela que finalização no UFC 217 foi premeditada

Ag. Fight

Ag. Fight

26/12/2017 14h49

Georges St-Pierre voltou ao octógono depois de ficar quatro anos afastado no UFC 217, que aconteceu em novembro passado, em Nova York (EUA). No seu retorno, o ex-campeão dos meio-médios (77 kg) mudou de categoria e enfrentou o então dono do cinturão dos médios (84 kg), Michael Bisping. Na luta principal do evento, o canadense finalizou o seu adversário no terceiro round, o que, de acordo com o seu treinador, foi algo premeditado.

John Danaher analisou a carreira de 'GSP' até a sua pausa, em 2013. O treinador de jiu-jitsu concluiu que o canadense sofreu com três principais críticas ao longo dos anos - incluindo a ausência de finalizações ou nocautes, o que deixava suas lutas "chatas". Por isso, para o retorno do ex-campeão dos meio-médios ao UFC, a sua equipe fez um planejamento para impressionar a todos que assistiram sua performance.

"Era uma grande coisa voltar depois de quatro anos. Mas se você vai voltar, por que não fazer algo diferente? Algo que vai mudar o seu legado? Conversamos sobre isso um pouco mais e eu disse para ele que sempre houveram três críticas na carreira dele. A primeira era que ele era muito controlado e tático na abordagem dele de luta, e isso fazia as lutas serem chatas. Isso sempre foi uma crítica persistente. A segunda é que ele nunca havia lutado em uma divisão diferente. Ele sempre lutou com caras do meio-médio. E a terceira era que ele nunca finalizava as suas lutas", revelou o treinador, em entrevista ao programa 'MMA Hour'.

"Essas eram três críticas que perseguiam o legado de Georges St-Pierre. Eu disse que a gente precisava focar em um treinamento que enfatizava finalizações e nocautes, e o poder de soco que ele precisava. Ele ia subir de divisão e focar nos velhos e dinâmicos movimentos laterais do Georges St-Pierre para criar uma luta mais rápida que deixaria as pessoas mais interessadas. Todas três críticas principais do seu legado foram respondidas de uma vez. Foi uma grande conquista", concluiu.

Ao enfrentar Bisping, o canadense conseguiu um estrangulamento no terceiro round e conquistou o cinturão dos médios. Contudo, devido a um problema de saúde, GSP optou em vagar o seu posto de campeão linear da categoria. Com isso, Roberto Whittaker, que possuía o título interino da divisão, passou a ocupar o posto mais alto do peso-médio.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte