MMA

Cris 'Cyborg' encerra rivalidade com Dana White: "Vamos trabalhar juntos"

Buda Mendes/Getty Images
A lutadora de MMA brasileira Cris Cyborg Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

28/12/2017 18h58

 

Não é segredo que os últimos anos da carreira de Cris 'Cyborg' foram marcados por polêmicas e trocas de farpas com Dana White, presidente do UFC que por diversas vezes questionou a postura da brasileira. Agora, prestes a liderar um card do evento na cidade de Las Vegas (EUA) e com contrato renovado com a organização, a campeã dos pesos-penas (66 kg) parece, enfim, satisfeita com o tratamento recebido.

E por causa disso Cris fez questão de deixar claro que, no que depender dela, todas as rusgas ficaram no passado e que a partir de agora ela e Dana White, assim como o UFC, fazem parte de um mesmo time e que o foco é trabalhar em conjunto. Sem mais desavenças.

"O resultado disso é pela persistência, não desistir com adversidades. Tudo muda, estou muito feliz por terem me colocado no card principal. Isso mostra para os meus fãs que mesmo quando é difícil, temos que persistir", narrou durante conversa com a imprensa brasileira em Las Vegas nesta quinta-feira (28), relembrando que o primeiro passo foi dado pelo próprio patrão.

Afinal, semanas atrás o cartola afirmou durante entrevista que errou na forma como tratou sua relação com Cris, atleta que demorou anos a assinar contrato com a organização. A partir deste momento, a brasileira também baixou a guarda e garantiu novos ares durante as negociações.

" Está melhorando, está melhorando. A partir do momento que se assume um erro, a partir desse momento caiu o que eu sentia por ele. Agora vamos trabalhar juntos", garantiu.

Neste sábado, na atração principal do UFC 219, Cris encara Holly Holm em sua primeira defesa do cinturão dos penas do evento. Chama a atenção, no entanto, que tanto a sua rival quando Tonya Evinger, adversária da brasileira em julho passado, competem na divisão dos galos (61 kg).

"Como é uma categoria nova, com o tempo vão conseguir mais atletas de 66 kg. Porque existem meninas de 66 kg. A próxima seria a Megan Anderson . É justo disputar com meninas respeitando o ranking. Espero que a próxima seja alguém do ranking, mas agora vou focar nessa luta com a Holly", finalizou.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
UOL Esporte - MMA
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo