Topo

MMA

"Já enfrentei meninas mais completas", diz Cris Cyborg sobre luta com Holm

Buda Mendes/Getty Images
A lutadora de MMA brasileira Cris Cyborg Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Lais Rechenioti, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

28/12/2017 14h27

 

Cris Cyborg terá pela frente um de seus maiores desafios na carreira neste sábado (30), quando mede forças contra a americana Holly Holm na luta principal do UFC 219. No entanto, apesar de ter pela frente a ex-campeã dos galos (61 kg) do evento e dona de diversos cinturões mundiais de boxe, a curitibana esbanja confiança. E essa certeza é baseada na sua versatilidade dentro do cage.

Invicta no MMA desde 2005, Cyborg coleciona nocautes no esporte, além de ter somado algumas aventuras em torneios de outras modalidades, como muay thai e jiu-jitsu, o que lhe garante o status de atleta mais completa para esta disputa. Por isso, a brasileira se adiantou e garantiu que já enfrentou rivais mais duras do que Holm.

"É um jogo de MMA, acho que já lutei com meninas mais duras que a Holly. Na verdade, não experiência em pé, mas experiência no MMA, como a Marloes Coenen. A Holly tem muito mais experiência, mas eu me preparei para a luta. Estou preparada para o que acontecer, respeito a minha adversária, mas quando fecha a portinha ali, é totalmente diferente", afirmou durante conversa com jornalistas brasileiros na última quarta-feira (27) antes de pregar respeito à carreira de boxeadora da oponente.

"Acredito que a Holly Holm é a atleta que tem mais experiência. Ela tem essa experiência na parte em pé. Mas acho que no MMA ela não é uma atleta completa. Já lutei com meninas muito mais completas que ela, mas eu acredito que ela que ela tem muito mais experiência, com certeza".

Como é mais completa e terá pela frente uma atleta reconhecidamente especialista no boxe, é de se esperar, então, que Cyborg poderá fazer uso de outras armas que não apenas o seu afiado muay thai. Ela, por sua vez, garante que está pronto para surpreender, embora prefira deixar no ar tal possibilidade.

"Sempre gostei de boxe, todas as minhas lutas, na maioria, foram por nocaute. Mas nunca deixei de treinar algumas coisas. Competi no wrestling, sempre treinei jiu-jitsu. E MMA é a mistura das artes marciais. Assim que eu sentir a luta, vou ter várias armas que vou poder usar contra ela. Acredito que não seja só a parte em pé, acredito que vou ter outras oportunidades para poder fazer na luta, mas se me der a oportunidade de nocautear, com certeza vou fazer e vou tentar. Mas eu tenho outras armas para poder usar na luta também", narrou.

"Nunca consegui mostrar todo o meu jogo. Sou faixa-marrom de jiu-jitsu, gosto do wrestling, gosto do muay thai, do boxe. Então, acho que nunca tive a oportunidade de mostrar o meu jogo, mas quem me conhece dentro da academia, sabe o que eu faço. Quem sabe a galera pode ver a um pouquinho mais do que é a Cyborg, quem sabe eu possa mostrar um pouquinho mais do meu jogo?", finalizou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!