Topo

Esporte

Cris 'Cyborg' encara algoz de Ronda Rousey para iniciar legado no UFC

Ag. Fight

Ag. Fight

30/12/2017 06h00

Depois de muitos anos de rumores e desentendimentos, Cris 'Cyborg' finalmente chegou ao UFC e se estabeleceu em sua divisão de origem, a dos pesos-penas (66 kg), na qual garantiu o cinturão em julho passado. Dado o importante passo, é chegada a hora da brasileira, que segue invicta no MMA desde 2005, dar início ao seu legado no evento com sua primeira defesa de título. E eis que o destino lhe reservou um momento especial.

Se por anos a certeza era de que Cyborg estrearia no octógono mais famoso do mundo em uma superluta contra a grande rival Ronda Rousey, neste sábado (30), na atração principal do UFC 219, a brasileira dará início à sua história como campeã justamente contra a atleta responsável por tirar a invencibilidade da judoca.

Em novembro de 2015, enquanto Cris ainda negociava sua migração do Invicta para o UFC, Holly surpreendeu o mundo ao nocautear a até então imbatível Ronda em uma das maiores surpresas da história. Após o feito, seu nome foi alçado ao status de nova grande celebridade do MMA, o que pode até ter atrapalhado as negociações da brasileira.

Enquanto apostava na americana como substituta de Ronda, o UFC pareceu endurecer na conversa com a atleta da Chute Boxe, que só estreou no show em maio de 2016 para um duelo a ser realizado em um peso combinado de 63,5 kg. Isso porque sua categoria só se tornaria finalmente oficial em fevereiro deste ano, quando outro curioso acaso adiou o sonho da curitibana.

Escalada para enfrentar essa mesma Holly Holm pelo título inaugural, Cris foi flagrada em um exame antidoping, o que mais tarde foi comprovado como fruto de um tratamento contra depressão realizado pela atleta. No entanto, enquanto os exames eram feitos, ela foi afastada e Germaine de Randamie ocupou sua vaga e venceu americana, se tornando assim a primeira campeã dos penas da história do UFC.

No entanto, a holandesa se recusou a enfrentar Cyborg, foi retirada do posto e abriu espaço para que, em julho, após uma verdadeira odisseia, Cris afivelasse o tão sonhado título. Agora, se não houver mais nenhum percalço no caminho, a brasileira fechará com chave de ouro a temporada 2017. Resta apenas passar por uma rival indigesta...

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte