Topo

MMA

Jacaré admite que pensou em aposentadoria após lesão no ombro

Reprodução
Imagem: Reprodução

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

15/01/2018 09h00

 

Após seis meses se recuperando de uma cirurgia no ombro, Ronaldo 'Jacaré' voltará ao octógono no dia 27 de janeiro diante de Derek Brunson no UFC Charlotte. Mas por pouco o manauara atual número três do ranking dos médios (84 kg) não colocou o fim definitivo em sua carreira, como revelou em entrevista exclusiva para a Ag. Fight.

Jacaré passou a relatar dores após sua luta com Tim Boetsch, quando venceu por finalização. No entanto, o estopim para a intervenção cirúrgica veio depois da derrota por nocaute para Robert Whittaker, em abril do ano passado. De acordo com o relato do manauara, foi a pior lesão que já passou na carreira. Ele, inclusive, avaliou ter sido mais grave que a famosa contusão sofrida em 2004, durante a final do mundial de jiu-jitsu contra Roger Gracie. Na ocasião, o brasileiro atuou grande parte do confronto sem sequer mexer o braço esquerdo quebrado.

"Essa foi a lesão das lesões. Foi complicado. Uma lesão seríssima. Foi bem pior (do que contro o Roger). Eu até pensei em parar de lutar, porque o doutor disse para mim que era cirúrgico e eu teria que ficar seis meses sem lutar. Falei: "Caraca. Pelo amor de Deus". Pensei em pendurar as luvas", assumiu o especialista em jiu-jitsu.

No fim das contas, o procedimento foi bem-sucedido e Jacaré está a apenas duas semanas de retornar ao cage. Mas isso fez com que o brasileiro refletisse sobre o seu futuro após se aposentar do MMA. De acordo com o atleta de 38 anos, sua intenção é voltar às origens e passar a dar aulas do esporte que o projetou para o mundo das artes marciais.

"Graças a Deus eu tenho um nome forte no jiu-jitsu e onde eu montar uma academia a probabilidade de eu ter bastante aluno é boa. No futuro o meu sonho ser professor de jiu-jitsu. Esse é meu sonho. Não MMA. MMA não é a minha praia. Eu gosto de MMA, mas o que eu amo é o jiu-jitsu", garantiu.

Jacaré possui um cartel com 24 vitórias, cinco derrotas e uma luta sem resultado. Caso vença Brunson no UFC Charlotte, o brasileiro voltará a ficar muito próximo de uma luta pelo cinturão da divisão dos médios.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!