Topo

Esporte

Números comprovam atropelo de Miocic em Ngannou no UFC 220

Ag. Fight

22/01/2018 14h11

Assim que o quinto round da luta principal do UFC 220, disputado na madrugada de domingo (21), em Boston (EUA), chegou ao fim, todos que acompanharam os 25 minutos de luta tinham uma certeza: Stipe Miocic deixaria o octógono com o braço levantado. E foi exatamente isso o que aconteceu após os três árbitros laterais apontarem o americano como vencedor por triplo 50-44 diante de Francis Ngannou. E os números do combate apenas corroboram este resultado.

De acordo com o 'Fight Metrics', site de estatística oficial do Ultimate, Miocic foi amplamente superior a Ngannou em praticamente todos os assaltos. Aquele que apresentou um equilíbrio maior foi o primeiro round, quando o camaronês ainda mostrava ter gás e potência em seus golpes.

Os números mostram que nos primeiros cinco minutos Ngannou foi muito mais ofensivo. O camaronês tentou 62 golpes significantes no primeiro round, mas só acertou 15 deles. Miocic, por sua vez, apresentou uma técnica muito superior ao aplicar 16 golpes significantes em 25 tentativas. Isso significa menos energia desperdiçada por parte do americano.

Nas parciais seguintes essa diferença se transformou em abismo a favor do campeão. O quarto round é o mais elucidativo do tamanho da superioridade técnica de Miocic. O americano aplicou 18 golpes significantes em 21 tentativas - um aproveitamento de 85%. Extremamente cansado, Ngannou tentou apenas três golpes relevantes e não acertou nenhum deles. No total, foram 70 golpes significantes conectados em 95 tentados pelo dono da categoria dos pesados e 21 em 113 do desafiante.

As estatísticas mostram claramente a estratégia de Francis Ngannou. Os 62 golpes tentados logo na primeira parcial representam mais de 54% do total aplicado pelo camaronês ao longo da luta. O próprio atleta chegou a admitir que seu plano de jogo voltado para encerrar com rapidez o duelo não foi a melhor saída.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte