Topo

Esporte

Joanna revela ter perdido 7 kg em 14 horas antes de sua última luta no UFC

Ag. Fight

23/01/2018 12h05

Com a sua derrota para Rose Namajunas no UFC 217, ocorrido em novembro passado, Joanna Jedrzejczyk perdeu a invencibilidade e o cinturão das palhas (52 kg). Apesar da sua performance, a ex-campeã da divisão ganhou uma oportunidade de ter a sua revanche na edição 223 do show, marcada para o dia 7 de abril. Com essa nova chance, a polonesa tem uma certeza: não repetirá os mesmos erros que cometeu antes de dar adeus ao seu título.

Em entrevista ao programa 'MMA Hour', Joanna revelou que teve muita dificuldade com o corte de peso antes do seu primeiro confronto com Namajunas. Isso porque a polonesa narrou que precisou eliminar cerca de 7 kg na véspera da pesagem e que sentiu as pernas dormentes logo depois de deixar a balança.

"Me senti mal, precisei cortar quase 7 kg em 14 horas. Fiz isso em 14 horas. Acho que a Perfecting Athletes não conseguiram acreditar que eu fiz isso. Comecei meu corte de peso na quinta, por volta de 17 horas, e eu estava no peso cinco minutos antes das 11 horas, na sexta, foi um milagre. Eu pedi para Deus me dar esse milagre. E aconteceu. Fiz isso mentalmente. Chorei, estava fraca, mas acreditei. Falei com uma das pessoas da Perfecting Athletes: 'Seria uma vergonha a campeã não bater o peso', mas eu consegui. Nem eu acreditei", lembrou a polonesa.

"Depois da pesagem eu só tomei líquidos e fui para a cama, porque eu tirei dois cochilos de 15 minutos enquanto cortava o peso. Mas as minhas pernas ficaram dormentes quando eu acordei. Disse para o meu médico que as minhas pernas estavam dormentes e ele disse que não precisava me preocupar. Eu precisava me hidratar mais e ficaria bem. Mas no dia seguinte senti a mesma coisa e comecei a pensar nas coisas mais malucas. Estava na luta mentalmente, queria entrar na luta e espantar as minhas preocupações".

Devido a esses acontecimentos, a ex-campeã dos palhas admitiu que ela e sua equipe escolheram a abordagem errada para o corte de peso. A polonesa explicou que na semana anterior ao evento estava com 57,6 kg, mas quando faltavam seis dias para subir no octógono o seu peso subiu para quase 60 kg e seria praticamente impossível atingir o limite da sua categoria no curto período de tempo.

Apesar de todas as dificuldades e de se sentir mal no dia do confronto, Joanna não cogitou desistir ou procurar tratamento médico para a dormência que sentia. De acordo com a ex-campeã, caso relatasse que se sentia mal, sua luta poderia ser cancelada e a lutadora não queria decepcionar os seus fãs.

"Estava com medo deles cancelarem a minha luta. Não poderia fazer isso com meus fãs. Sou uma verdadeira guerreira. Se quiserem acreditar, podem acreditar. Se não, vou provar que estão errados. Ainda sou a campeã", concluiu.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte