Topo

Esporte

Australiana detalha terror vivido com assalto em casa antes de lutar no UFC

reprodução/UFC
Imagem: reprodução/UFC

Ag. Fight

25/01/2018 13h26

Jessica Rose-Clark esteve no UFC St. Louis, ocorrido no último dia 14 de janeiro, nos Estados Unidos, e derrotou Paige VanZant por decisão unânime dos juízes laterais. Entretanto, antes do evento ser realizado, a australiana precisou se manter forte, já que a sua casa em Las Vegas (EUA) havia sido assaltada e o seu gato precisou ser sacrificado depois de ser agredido pelos ladrões. Alguns dias depois do ocorrido, a lutadora revelou detalhes do momento complicado pelo qual passou.

Em entrevista ao programa 'MMA Hour', Rose-Clark narrou que recebeu a notícia da sua amiga que mora com ela por mensagem de texto. A atleta revelou que viu vídeos que mostravam a sua casa destruída, mas só soube da situação do seu gato depois que o animal havia sido sacrificado devido aos danos sofridos. Apesar de toda perturbação vivida nesse "dia horrível", a australiana garantiu que só se permitiu ficar emotiva com a situação depois que deixou o octógono.

"Não fiquei emotiva até que tudo acabasse. Mas literalmente assim que a luta acabou, precisei ficar um pouco sozinha por um tempo. Passei por um momento complicado depois que acabou. Eu amo Vegas. Vegas fez com que várias coisas fossem possíveis para mim, coisas que não seriam viáveis na minha cidade. Uma coisa dessas não me faz querer ir embora, só me faz querer mudar para um apartamento mais seguro e ter um cachorro", narrou a atleta.

A lutadora explicou que a pior parte em todo o acontecimento foi ter perdido objetos materiais que não podem ser substituídos, por exemplo, as luvas que usou em sua estreia no UFC. Além disso, Rose-Clark ficou bastante abalada com a perda do seu gato de estimação.

"Essa foi a parte mais difícil disso tudo, porque todas as coisas, algumas não podem ser substituídas. Eles roubaram as minhas luvas que usei na minha estreia do UFC e muitas coisas da minha primeira luta. Isso me deixou triste. Algumas joias que tinham valor sentimental também foram levadas. Mas, no final de tudo, são apenas coisas. Mas o gato, ele devia estar tentando falar com eles. Ele era muito amigável. Ele devia estar pedindo carinho, quem faz isso?", revelou a australiana.

Apesar dos momentos terríveis, Rose-Clark explicou que recebeu apoio de muitas pessoas que se compadeceram da situação. Na semana do assalto, a lutadora contou em seu Twitter que graças a repercussão que o caso recebeu, a polícia e emissora de televisão local estavam investigando o roubo.

"Essas coisas pequenas são legais. É bom ver que as pessoas se importam. Quando algumas pessoas podem ser tão más ao fazerem algo desse tipo, tem muito mais pessoas que são boas e querem ajudar", concluiu.

Mais Esporte