Topo

MMA

Cyborg aponta fracasso no MMA para justificar ida de Ronda Rousey ao WWE

Christian Petersen/Getty Images
Ronda Rousey deixa a T-Mobile Arena após derrota para Amanda Nunes no UFC 207 Imagem: Christian Petersen/Getty Images

Ag. Fight

31/01/2018 12h54

 

Ronda Rousey esteve no Royal Rumble nesse domingo (28) para anunciar a sua transição para a WWE (maior liga de telecatch do mundo). Depois de mais de um ano afastada no UFC, a ex-campeã da divisão peso-galo (61 kg) deu uma pausa na sua carreira no MMA para se dedicar ao entretenimento esportivo. E, para Cris 'Cyborg', isso aconteceu pelo fato da americana não ter superado as suas últimas atuações no octógono.

Antes de enfrentar Holly Holm, em 2015, a loira se mantinha invicta como profissional e já havia realizado seis defesas de cinturão bem-sucedidas. Contudo, Ronda acabou nocauteada pela sua compatriota e, consequentemente, deixou o seu posto de campeã. Depois disso, a americana teve uma nova chance de conquistar o título, ao enfrentar Amanda Nunes em dezembro de 2016, mas foi derrotada ainda no primeiro round.

Em entrevista ao site 'MMA Fighting', Cyborg opinou que essa transição feita pela ex-campeã dos galos se dá pelo fato de Ronda não ter vencido os traumas desses resultados em sua mente. A campeã dos penas (66 kg) ainda sugeriu que a americana possa precisar de ajuda profissional para virar a página de suas derrotas no UFC.

"Acho que ela será feliz na WWE e é completamente diferente da realidade do MMA. Por exemplo, as vitórias e derrotas são decididas antes dos shows. Acho que é normal ela querer fazer essa mudança. Na verdade, só podemos falar sobre coisas que já superamos nas nossas cabeças e ela não superou suas derrotas no MMA ainda. Mesmo em um outro estágio na carreira dela. Algumas pessoas precisam de ajuda profissional para isso", opinou a brasileira.

É provável que a estreia de Ronda na WWE aconteça no maior evento de telecatch, marcado para o próximo dia 8 de abril, em Nova Orleans (EUA). Isso porque, durante a sua participação especial no Royal Rumble, a americana desafiou a atual campeã da liga ao apontar para o símbolo do 'Wrestlemania', que é o maior show promovido pela organização.