Topo

Esporte

Após vencer estreia no UFC, Polyana Viana projeta cinturão em 2019

Wander Roberto/Divulgação/UFC
Polyana Viana venceu a luta contra Maia Stevenson no primeiro round Imagem: Wander Roberto/Divulgação/UFC

Marcel Alcântara, em Belém (PA)

Ag. Fight

05/02/2018 13h52

Em sua primeira atuação no octógono, Polyana Viana conseguiu uma finalização ainda no primeiro round e derrotou Maia Kahaunaele-Stevenson nesse sábado (3), no UFC Belém. Depois da sua performance, a brasileira foi elogiada pelo próprio Dana White, presidente do evento, que garantiu ter ficado "muito impressionado" com a atleta. Por isso, a 'Dama de Ferro' fez planos para chegar ainda mais alto na maior organização de MMA do mundo, e de forma rápida.

Para Polyana, a publicação do presidente do UFC mostra que os olhos da organização estão apontados para a ela. Sem pensar duas vezes, a peso-palha (52 kg) garantiu, em conversa com jornalistas logo após deixar o octógono, que pretende intensificar os seus treinos até ser cotada para enfrentar Rose Namajunas pelo cinturão da categoria. O que deve acontecer, de acordo com os seus planos, o mais rápido possível.

"Significa que ele está me vendo, ele está me acompanhando. Logo logo vou tomar o cinturão daquela americana, polonesa, não sei o que ela é. Se eu puder, vou treinar até nos domingos para isso. Não quero levar anos e anos, quero chegar logo. Até o ano que vem eu pretendo disputar o cinturão", projetou a atleta.

Natural do Pará, a brasileira revelou que ficou nervosa com a sua estreia, especialmente, quando entrou na arena e ouviu a torcida gritar o seu nome. Por isso, Polyana declarou que sentiu a obrigação de retribuir os fãs presentes, que a fizeram se sentir realmente em casa.

"Estou muito emocionada de lutar em casa, estou praticamente em casa. Não sou de Belém, mas sou do interior do Pará. Queria agradecer a torcida. Quando entrei e vi aquela torcida gritando o meu nome, gritando para mim, fiquei meio nervosa. Senti que deveria fazer alguma coisa para retribuir aquilo, e eu fiz. Passei muita coisa para estar aqui nesse evento. Já lutei Jungle, já lutei evento pequeno. Mas o meu sonho sempre foi lutar UFC. Quando entrei, não acreditei porque é o meu sonho. É emocionante, uma coisa muito diferente", assegurou a lutadora.

Com este resultado, Polyana chegou a sua sexta vitória consecutiva, todas no primeiro round. Na carreira, a brasileira terminou os seus combates com a mão levantada em dez ocasiões e sofreu apenas uma derrota.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte