Topo

Esporte

Dodson reclama de clareza do UFC e diz que não sabe se será pago por ir a Belém

Ag. Fight

07/02/2018 11h23

John Dodson se preparou para estar no UFC Belém, no último sábado (3), contra Pedro Munhoz. No entanto, o brasileiro ultrapassou o máximo permitido na divisão peso-galo (61 kg) e ficou quase 2 kg acima na pesagem oficial. Por isso, o americano optou por não subir ao octógono e, agora, não sabe se será pago, mesmo tendo cumprido com a sua obrigação e atingido o peso exigido.

Apesar de não ter lutado, o americano garantiu que esperava receber alguma parte de sua bolsa e o patrocínio da Reebok por ter cumprido com as suas obrigações antes do evento, e por ter tido sucesso na balança na pesagem. Em entrevista ao programa 'MMA Hour', Dodson revelou que procurou o presidente do UFC para saber como ficaria a sua situação. Contudo, a descoberta de que poderia voltar para casa sem ser pago foi feita através das redes sociais.

"Minha equipe de empresários não me falava nada e eu estava tentando conversar com Sean e Dana . E os dois me deixaram no escuro. A primeira coisa que ouvi nas redes sociais era que eu não receberia nada. As pessoas me diziam que era horrível eu ter viajado até lá, não lutar e não receber nada", lamentou o lutador.

"É frustrante porque qual o ponto de ter um show desses? Eles te dizem para aparecer e é esse dinheiro que eles negociam para a sua divisão. E então, você atinge o peso e o seu adversário não, aí você pega 20% desse dinheiro. Para mim, quando eles dizem: 'aparecer', eles querem dizer aparecer, pesar e então começar a se preparar para a luta".

Mesmo com o fracasso na pesagem do seu adversário, Dodson assegurou que não pensou em abrir mão da luta em um primeiro momento. De acordo com o americano, ele estava disposto a enfrentar Munhoz acima do peso e a sua equipe começou as negociações com o UFC. A performance em Belém seria a sua última atuação pelo seu contrato atual com a organização e os seus empresários tentaram chegar a um novo acordo, sem sucesso.

Depois disso, o americano se colocou à disposição para manter a luta desde que Munhoz não ultrapassasse 64 kg no dia do confronto. Essa decisão foi tomada para limitar a hidratação do brasileiro até o combate. No entanto, de acordo com Dodson, o UFC também recusou essa proposta.

"É triste porque eu não fui até lá e fiz o que queria fazer. Amo lutar. Amo ir até lá e ficar na frente da torcida para entreter. É triste e frustrante para mim, porque como competidor e atleta, me sinto devastado. Falei que iria nocauteá-lo e não tive chance de fazer isso. É uma grande decepção", concluiu.

Com o confronto retirado do card de Belém, o UFC estuda a possibilidade de reagendar o duelo para a edição 222 do show, marcada para o próximo dia 3 de março, em Las Vegas (EUA).

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte